quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Perfume Review: Mitsouko EDP,Guerlain

By Italo Wolff

Parte de O ano da
França no Brasil por Perfume da Rosa Negra

Part of The year of the France in Brazil by Perfume da Rosa Negra







Guerlain,
mais que uma marca de perfumes franceses, possui uma tradição familiar de séculos e séculos. Já fez perfumes para reis e rainhas da França, além de marcar época com seus inesquecíveis frascos lapidados um a um de modo artesanal. Seria possível que uma marca tão tradicional fosse um pouco mais ousada a ponto de apresentar um perfume ambigüo, de aroma gritante e sensual ainda no ano de 1919? A incrível resposta para esta indagação é simples e direta, Guerlain não só ousou como também lançou um chypre de extrema sensualidade e poder que é, até hoje, admirado como perfumaria arte. Seu nome é simplesmente Mitsouko, muito mais que uma água para perfumar. Na verdade, é um caso à parte da perfumaria, um aroma dramático e de uma magnitude inconcebível para a data na qual foi criado. Um aroma tipicamente francês carregado e atordoante, que pode mostrar-se inocente e casual, como pode tornar-se um elixir do desejo fatal e noturno.



O pai de todos os chypres frutais, que serve de inspiração para as criações atuais.Um perfume que não se perdeu no tempo, simplesmente adquiriu o peso da idade e desse modo mostra a verdadeira arte que se esconde atrás de uma composição química que chamamos perfume. O acorde oleoso, típico da Maison Guerlain, é perceptível em toda a sua evolução, um perfume tão moderno quanto os que ainda serão lançados séculos à frente dos tempos. Uma obra prima que tem como moldura a feminilidade de um pêssego que não é óbvio como conhecemos hoje, legado de uma geração de fragrâncias que demoravam décadas para ficarem prontas.
Baseado em um romance francês La Bataille de Claude Ferrière, que nos mostra uma heroína japonesa que em meio à uma sanguinolenta guerra apaixona-se por um oficial britânico, inevitavelmente vê o amor escorrer por entre seus dedos. Onde é sempre perceptível o impacto entre luz e escuridão, amor e tristeza, que faz uma admirável intersecção entre a obra literária e Mitsouko perfume.




Com uma abertura marcada por bergamotas e um tom floral que parece único, que é, na verdade ,a mistura de rosa e jasmim, essa saída é áspera,. No decorrer do desenvolvimento a fragrância abre um aroma frutado e adocicado por pêssego maduro e suculento. Tal aroma frutal se mescla a ylang e lilac, o que consequentemente dá um toque atalcado à composição. Como o desvendar dos mistérios, Mitsouko representa dramas e sombras, a partir das quais se esfumaçam contornos de uma mulher inocente e apaixonada, que no desespero de um amor perdido torna-se amarga e casta, aguardando ansiosa e desesperadamente o retorno de seu verdadeiro amor.



Como em uma guerra, a camada final de Mitsouko, mostra-se quente e extremamente densa, com tons ambarianos, acordes de canela, vétiver e musgo de carvalho, unidos de uma só vez, como um verdadeiro arsenal bélico, a culminância da batalha que tomou de nossa heroína seu amor. Dramas, romances e batalhas infindas, tão poético e sonoro como poucos aromas que já senti, esse é o espírito do perfume de Jacques Guerlain, um aroma que pode não agradar pela potência, mas que certamente seduz pela poesia de seus acordes, rasgando nossas narinas e aquecendo nossas almas de modo tão violento que não temos forças para resistir.


"E eu vos direi:
Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas"


(Ouvir estrelas de Olavo Bilac)




Italo Wolff é escritor de perfumes de Alagoas (Brasil) e colaborador exclusivo para o Perfume da Rosa Negra



(English version)



Guerlain, more than one French fragrances brand, owns all the familiar tradition during centuries and centuries.It already composed perfumes for kings and queens besides being a great name of one epoch with its unforgettable lapidated bottles one by one in a handicrafted way. Would it be possible that a brand so traditional were a little more audacious ready to present an ambiguous perfume, a crying and sensual aroma in the year of 1919? The incredible answer for this questions is simple and direct. Guerlain not only dared as released a chypre of extreme sensuality and power which until now is admired as perfumery and art,. Its name is simply Mitsouko, much more than a fragrance to be wore. Indeed, it is a case aside in the perfumery, a dramatic aroma and owner of an extraordinary magnitude for the epoch it was created. A scent typically french carried and stunning that can show itself as innocent and casual as an elixir of fatal and nocturnal desire.


The father of all the fruity chypres which serves as inspiration for our recent creations, a perfume that does not lose itselfy in the times, it simply acquired the weight of the age and , in this way, shows the true art that is behind its chemistry composition called perfume. The oily chord, natural of Guerlain Maison is perceptible in all its evolution, a fragrance so modern as others that will be released centuries ahead, a masterpiece that has as frame the feminility of the peach which is not the obvious on that we know nowadays. Mitsouko is the legacy of a generation of fragrances which take decades to be ready.


Based on the french novel "La Bataille" of Claude Ferrière which shows us a japanese heroin in the middle of a sanguinolet war. She falls in love by a british official and, unavoidably she sees the love to rush out her life, when is always noticeable the impact between the light and the darkness, the love and the sadness, that make an admirable intersection between the literacy piece and the fragrance.


Starting with a very clear bergamots opening and a floral tone that seems unique, what is, truly a mix of rose and jasmin, this scent opening is harsh. In the course of the development, the fragrance opens a fruity aroma and sweet by the ripe and succulent peach. This frutal scent is blended to the ylang and lilac, what consequently gives a powdery chord to the composition. As solving the mysteries , Mitsouko represents dramas and shadows,from them are filled with smoke the contours of the innocent and passionate woman who, in the despair of the lost love become herself bitter and virginal, waiting anxious and desesperately the return of her true love.


As in one war, the final layer of Mitsouko is warm and extremely dense with ambery undertones, cinnamon, vetiver and oakmoss chords joined in just one time as a true army arsenal , the climax of the war that tooks from the heroin her love. Dramas, romances and endless battles, so poetic and sonorous as few aromas that I 've ever smelt. This is the spirit of the Jacques Guerlain fragrance, perhaps a scent that may not please some tastes due to its potency, but certainly a scent which seduces by the poetry of its chords, tearing our noses and warming our souls in a violent way that we don't have forces to resist.


"And I tell you:
Love them to understand them! Only who love may be heard

Able to hear and understand the stars"


(Ouvir estrelas de Olavo Bilac)


Italo Wolff is fragrance writer from Alagoas, Brazil and is collaborator for Perfume da Rosa Negra.


Photo: Guerlain AD

Nenhum comentário: