segunda-feira, 23 de março de 2009

Entrevista com Blaise Mautin, perfumista / Conversations: Blaise Mautin, parfumeur

Parte de O ano da França no Brasil por Perfume da Rosa Negra
Part of The year of the France in Brazil by Perfume da Rosa Negra



Neste mês, no especial da série "O ano da França no Brasil", apresento-lhes o perfumista francês Blaise Mautin, que tem realizado um trabalho incrível em nome da fragrância com um autêntico experimento pessoal e trabalho artístico. Blaise lidera a perfumaria de uma das cadeias de hotéis mais luxuosas do mundo "The Hyatt Group" e atualmente é um talento emergente no cenário da perfumaria parisiense, abrindo sua boutique sensorial no tradicional Hotel Park Hyatt Vendome em Paris para mais um momento de deleite perfumístico para os entusiastas por aromas. Além disso ele vem desenvolvendo mais e mais assinaturas olfativas para o negócio e também para a perfumaria de nicho customizada. No último dezembro, Blaise foi mencionado na edição brasileira da Revista Vogue.

Quem é Blaise Mautin? Como ele me disse, ele é basicamente um designer autodidata de fragrâncias. No entanto, para mim, Blaise é mais do que um perfumista quando ouvi sua afirmação "Percebi muito rapidamente que eu não iria ingressar em uma Cia regular como empregado... Estou feliz pela escolha que eu fiz". Blaise é a sua própria empresa. De fato, o desafio de ser um perfumista independente em uma indústria glamorousa e competitiva, sempre perseguindo o alvo de ser um profissional excepcional em sua arte faz com que eu conclua que Blaise é uma ótima nova referência para aqueles que acreditam que algumas escolhas empreendedoras na indústria perfumística são bem-vindas , além de colocarem o elemento pessoal no mesmo nível (ou até acima) do elemento meramente profissional. Isto só confirma que as escolhas pessoais tornam-se posteriormente escolhas corporativas. Por que concluir isso? Porque, acima de tudo, nós todos, principalmente os perfumistas neste contexto, são as suas próprias empresas.

Disfrute a entrevista com Blaise Mautin, que gentilmente foi entrevistado por mim para o Perfume da Rosa Negra, o blog internacional e brasileiro de perfumes que, mais uma vez, celebra algo exclusivo e perfumado da França para o Brasil.


Cris:
Você é o perfumista oficial de fragrâncias e produtos perfumados para uma das cadeias hoteleiras mais poderosas do mundo, o Hyatt. Isto fez-me interessar bastante pelo teu trabalho. Como tudo começou?

Blaise: Meu primeiro cliente já era extremamente importante e bem conhecido em todo o mundo. Basicamente quando eu fiz o primeiro perfume para ele, alguns jornalistas ficaram interessados em me conhecer e começaram a escrever sobre o meu trabalho. Por causa desta exposição que meu trabalho chegou até o
Hyatt.


Cris: Atualmente as pessoas se preocupam muito com o senso de bem-estar quando elas usam produtos para cuidados corporais ou somente acendem uma vela perfumada para relaxar. Elas também estão mais seletivas com relação a estes produtos. Você acha que é uma tendência potencial ter perfumistas emergentes trabalhando com assinaturas olfativas específicas para hotéis, spas e outros empresas relacionadas a saúde e bem estar? Por que?

Blaise: Certamente a fragrância customizada é uma realidade. No meu caso, há clientes como uma pop star russo que solicitou a confecção de 500 frascos para seu casamento , um ícone do cinema francês, outro de Hollywood que gostou tanto do perfume que criei para sua esposa que pediu para fazer outro para a filha e depois para perfumar seu próprio helicóptero...
alguns exemplos que acontecem, a busca por estes últimos luxos é evidente, não importa o campo e então, eu construo a estória ingrediente por ingrediente para fazer do aroma uma lembrança. É como resolver um pequeno quebra-cabeças, sempre tentar entender o ambiente que o cliente quer estar, quais suas melhores memórias... como é o cheiro? E então, você sabe... um pequeno toque...


Cris: Muitos perfumistas são os "bespoke fragrance designers", criando fragrâncias personalizadas para seus clientes. Na sua opinião, qual é o principal traço que o torna um perfumista diferenciado , com um diferenciado trabalho, independente da representação que tem diante do Park Hyatt?

Blaise: Para ser diferente de outros, não há lojas. Meu trabalho está na propaganda boca a boca... procurando sempre por exclusividade. Também cada designer de perfumes tem sua própria maneira de desenhar uma fragrância. Eu sempre comparo isso a um artista de pintura à óleo. Você gosta ou não gosta de Renoir ou de Picasso, mas no mínimo, você reconhece o trabalho deles.


Cris: Bela comparação! Blaise, eu li na Vogue Brasil que você abriu uma boutique sensorial no Hyatt Vendôme de Paris. Qual é o conceito atrás da boutique? O que faz com que ela seja especial para hóspedes e/ou o público em geral?

Blaise: O sucesso do perfume em si. Alguns hóspedes amam tanto o perfume que o hotel realmente tem que fazer alguns produtos para presentes, vendas.


Cris: É possível esperar por eventos olfativos ou ações que possibilitem experiências olfativas nas pessoas que frequentam a boutique ou é somente um espaço focado em vender produtos?

Blaise: É possível esperar ações de expansão. Haverá outras boutiques em Nova York , Chicago, Los Angeles e Tóquio e, certamente, Paris. Estamos com Visvim Hiroki Nakamura lançando uma linha de banho Blaise Mautin mas esta é outra estória… Com relação as fragrâncias, os lançamentos serão sempre em lugares especiais e todos os meus perfumes tem uma história.


Cris: Hmmm, outra estória, mantenha-nos informados depois... a propósito, mais do que capturar os gostos sensoriais, personalidade e intenções, o que você imagina ser a alma do perfume making personalizado?

Blaise: A identidade da pessoa. Desenhar uma fragrância é sempre uma memória que dura até o fim dos tempos.


Cris: Quais são os insights criativos que são a chave para um perfumista criar "sob medida" ?

Blaise: Os insights ao redor da pessoa para qual o aroma está sendo feito é mais importante do que o designer de perfumes porque cada artista precisa de reconhecimento e trabalhar na fragrância de alguém é uma forma de ter o trabalho do artista reconhecido. É por isso que eu não penso ser necessário abrir uma loja.




Cris: Quando você cria uma fragrância customizada, eu vi que você faz com que o cliente cheire as notas e conheça melhor sobre aromas como uma jornada real interativa no qual o cliente é envolvido em encontros posteriores após a primeira atividade.
Qual a melhor parte do seu processo individual de criar perfumes?

Blaise: A parte mais interessante é o compartilhar das emoções humanas quando eu começo a desenhar o aroma.


Cris: De fato, compartilhar emoções sempre é uma parte especial de qualquer obra. Blaise, com a finalidade de cobrir as necessidades do luxo, a satisfação do cliente e estar a frente da concorrência, Hyatt está lançando outras assinaturas olfativas em outras localidades onde a rede está estabelecida?


Blaise: Sim, as estamos lançando na América do Norte, Paris, Zurique, Dubai, Baku e logo em Jeddah.


Cris:
Você é um autodidata, no entanto você tem algumas influências de outros nèz, algum mentor ou perfumista que , em termos olfativos, você considera ser um espelho do seu trabalho ou um modelo ideal para você?

Blaise: Certamente, Coty, Beaux e Edmond Roudnitska.


Cris: Há uma discussão interessante quando ouvimos sobre o fazer perfumes personalizados. Quando alguém tem a chance de customizar sua própria fragrância, eles acabam por requerer novos produtos como sabonetes, loções e óleos de banho, velas, etc com o mesmo aroma da fragrância corporal. Consequentemente, a exclusividade do perfume perde alguma "mágica" considerando que é uma idéia sofisticada ter uma aroma único em uma única forma de produto, que é o perfume em um frasco. O que você pensa sobre isso?

Blaise: Depende. É realmente incrível quando o cliente pede para fazer alguns produtos como velas, fragrâncias de interior, etc. Isso é realmente um luxo, você não acha? Eu tenho desenhado para mim mesmo todos estes produtos para meu uso pessoal e eu tenho que confessar-lhe o segredo : Eu amo fazer isso. É tão único dar às pessoas que se ama algo da memória.


Cris: Blaise, obrigada pela tua presença no especial "O ano da França no Brasil" como representante do seu país. Finalizando esta entrevista, conte-nos uma mensagem ou citação que melhor representa a relação entre a França e os perfumes.

Blaise: Cris, eu sempre tenho em mente que cada designer de perfumes tem que trabalhar, aprender e ouvir, não importa o país. Também o resto do mundo tem aprendido rapidamente e é extremamente bom o que eles fazem.

Eu amo meu país e amaria descobrir o Brasil. Muito obrigada a você e a todos os seus leitores, deixo abraços para todos os brasileiros e agradecimentos especiais pelo seu interesse em meu trabalho.

Cris: O prazer é meu. O melhor e perfumado sucesso em todos os seus empreendimentos.



(Original English version)



This month, in the special articles series "The year of France in Brazil", I introduce you Blaise Mautin, a French perfumer who has done an amazing work in the name of the fragrance as an authentic personal experience and art work. Blaise is ahead in the perfumery of one of the most luxurious hotels chains in the world "The Hyatt Group" and is nowadays a raising talent in the parisian perfume scenery, opening his sensorielle boutique in the traditional Park Hyatt Vendome in Paris for delightful fragrant experience of perfume enthusiasts, moreover he is developing more and more olfactory signatures for this business and also customized niche perfumery. Last December Blaise was also mentioned in the Brazilian edition of Vogue Magazine.

Who is Blaise Mautin? As he says to me, he is basically a self - taught perfume designer. But, for me, Blaise is more than just a perfumer, when I heard his next words "I realized very quickly that I won't feet into a regular company as an employee... I am happy of the choice that I have made". Blaise is his own company. Indeed, the challenge of being an independent perfumer in a competitive and glamourous industry, always persuing the target of being an outstanding professional in his art makes me finalize that he is an excellent new reference for those who believe that some entrepreneurship choices in fragrance industry are welcome and put the personal element at the same level (or above) the professional one, confirming that personal choices become later corporate choices. Why do I conclude it ? Because, first of all, we all , mainly perfumers in this context, are our own companies.

Enjoy the interview with Blaise Mautin, who nicely, was interviewed by me for Perfume da Rosa Negra, the international Brazilian Perfume Blog which is celebrating some exclusive and fragrant France in Brazil during this special 2009.



Cris:
You are the official perfumer for fragrances and scented products for one of the most luxurious hotels chain in the world, the Park Hyatt. This makes me feel really interested in your work. How did everything start?

Blaise: My first customer was already extremely
important and well known all over the world. Basically when I signed my first perfume to them, some journalists were interested in meeting me and started to write about my work . Because of one of these media articles, my work came across to Hyatt group.


Cris: Nowadays people care much more about the sense of wellness when they use some bath and body products or just light a candle to get relaxed. Indeed they are more selective about these products. Do you think that is a potential trend to have emerging perfumers to work on specific signature fragrances for hotels, spas and others host or health and wellness companies? Why?

Blaise: Of course custom-made fragrance is a reality. In my case, there are clients as
the Russian pop star who commissioned 500 bottles for her wedding, the French film icon, other Hollywood client who loved the Mautin scent created for his wife that he ordered another one for his daughter and a third for his helicopter . . . some examples which happen, the search for the last luxuries, no matter the field and then, I build a story ingredient by ingredient to make the scent a souvenir. It is like solving a little puzzle, always trying to understand what environment a client likes to be,what their best memoris are. How does it smell? And then, you know... a little touch...


Cris: Many perfumers are bespoke fragrance designers and create customized perfumes for their customers. In your opinion, what is the main trace that makes you a distinguishable perfumer, with a distinguishable work, apart from the representation that you have ahead of the Park Hyatt?

Blaise: To be different from the others , no shops, no boutique. My work is in the world of mouth...searching always for exclusivity . Also each perfume designer has his/her own way on designing scent . I always compare it to an oil painter artist . You like Renoir or Picasso or you don’t, but at least you recognize their work.


Cris: Nice comparison! Blaise, I read in Vogue Brazil that you have opened a sensorial boutique in Hyatt Vendôme, Paris. What is the concept behind this sensorielle boutique? What makes it special and a different option for the hotel guests and the public?

Blaise: The success of the perfume by itself. Some guests love the scent so much that the hotel really had to make goodies for gifts and retails.


Cris: Do you expect to have olfactory events or actions to raise some olfactory experiences on people in this boutique or is just a space focused on selling products or something like that?

Blaise: Yes, in New York, Chicago, Los Angeles and Tokyo and, of course, in Paris. We are with Visvim Hiroki Nakamura launching a Blaise Mautin bath line but it is another story… Regarding scents, the releases are always in special places and all of my perfume have history.

Cris: Wow, another story, please keep us updated later... by the way, more than capturing the sensorial tastes , personality and intentions, what do you think that is the soul of a personalized perfume making?

Blaise: The identity of the person. Designing a fragrance for is always a memory which lasts until the end of times.


Cris: What are the main breakthrough insights which are key for being a real perfumer creating "sur la mesure"?

Blaise: The insights around the person the scent is for is even more important than the perfume designer because every artist needs recognition and working on someone's fragrance make the artist's work be recognised. That is why I don’t think neccessay to have a shop quite yet.


Cris: When you create a custom fragrance,
I see that you make the client to smell notes and know better about aromas as a real interactive olfactory journey in which the client is involved in a type of post meetings after the first assessment. What is the best part of your individual creative perfume process?

Blaise: The most interesting part is human sharing emotions when I start the process of designing a scent.


Cris: Indeed, emotions sharing is always a special part in any piece of work.
In order to cover the luxury needs, customer satisfaction and being ahead of competition, is Hyatt launching others signature fragrances for each location where the hotel is established?

Blaise: Yes, we are launching for North America, Paris,Zurich, Dubai, Moscow, Baku and soon Jeddah.

Cris:
You are an autodidact; however do you have some strong nèz influences, some mentoring or some perfumer that you think that in olfactory ways, a twin mirror of your work or an ideal model for you?

Blaise: Sure. Coty, Beaux and Edmond Roudnitska.

Cris: There is an interesting discussion when some perfume lovers hear from the personalized perfume making. When someone has the chance of having a customized fragrance, they may request for new products as soaps, bath showers, bath oils, candles etc with the same scent of their fragrance. Consequently, the perfume exclusivity loses some of the “magie” since the sophisticated idea is to have an unique scent in one unique product form, which is a perfume in a bottle. What do you think about it?

Blaise: It depends. It is great when the customer asks to manufacture for her/him some exclusive amenities as candles, interior fragrances and so. That is really luxe, don't you think? I have design for myself all these products for my personal use and I must tell you as a secret I love it. It is so unique you give people that you love some memory.

Cris: Blaise, thanks for your presence on this special article of "The year of France in Brazil" as a representant of your country. Finalizing this interview, tell us something as a message or quote that best represents for you the relation between France and perfumes.

Blaise: Cris, I always keep in mind that every perfume designer has to work, learn and listen, no matter the country. Also the rest of the world learn fast and is also extremely good in what they do. I love my country and would love very much to discover Brazil. Many thanks to you and your readers let me send big hugs to all Brazilians and special thanks for your interest to my work.

Cris: The pleasure is mine. Best fragrant success on your new achievements.


Photos: By Blaise Mautin. Rights reserved.

Nenhum comentário: