terça-feira, 28 de abril de 2009

Conversations: Andy Tauer, Tauer Perfumes/ Entrevista: Andy Tauer, Tauer Perfumes


Andy Tauer, owner and perfumer
Niche
Perfume House, Tauer Perfumes

This perfumery world is a real and imaginary world. And about joining two contrasts : my reality and my fantasy in one big meeting and bring here one lovely dream coming true? I made it, finding a fragrance designer who brings to my reality the feeling of admiring him as a pleasant professional and , on the same time, also his perfume creations and entire work.

In this perfumery world, there are some blessed meetings when my fragrant fantasies and realities are deeply together to come one unique truth. And my truth is that I am honoured by joining here , at Perfume da Rosa Negra, one of my favorite perfumers, Andy Tauer, the owner and perfumer of Tauer Perfumes, located in Switzerland. For me, he is the fragrance creator and the fragrance creation, wonderfully attached to my fragrant world. A fabulous nose, who has a marvellous work and also is easily admirable as an human being. Among his fragrances, my signature fragrances are L'air du desert marocain and Incense Rosé, characters of my oriental fragrant experiences.

I hope you enjoy this great moment and, if you have not known Tauer Fragrances yet, visit his site and take the time to smell his high-quality perfumes, in the name of perfumery art.

Scentfully,

Cristiane Gonçalves , aka Cris Rosa Negra

(Editor note)





Welcome to Perfume da Rosa Negra, Andy!


Cris: Andy, you are a type of outsider perfumer. You own an independent fragrance house. You are a cult fragrance perfumer. You are placed in the global perfumery however you are from Switzerland and not in Paris and New York, the big centers of the perfume making. But, most of all, you are one of the best perfumers, a complete insider in the creative perfumery as art, you are loved by many people who think your fragrances are simply outstanding and one of the best in the world. How do you deal with the fact of being an outsider and, on the same time, an insider in this industry?

Andy Tauer: You know that about 10 km from my house you find Givaudan’s laboratories where some of the best perfumers and chemists work together to bring for instance tropical flowers back to life after analyzing these scented treasures using head space technology in the jungle? I would bet: Some of the most innovative fragrances are sitting there, in walking distance from my house in grey laboratory drawers, waiting for a client who is brave enough to march on new land. (Unfortunately, these perfume house clients are harder to find it seems these days than good quality rose oil).

So you see: Switzerland with its top organic chemistry and Givaudan and Firmenich and other companies is a true hotspot when it comes to fragrances.

But I guess this was not your answer, right? Indeed, I guess I am pretty much outside. And trust me: This helps if you approach perfumery the way I do! For me perfumery is first and above all a creative venture; it is about creating fragrances that I find interesting and thrilling. It is about storytelling with scents. Then it is about approaching folks with these scents and explaining them. And ultimately, because I have a business where I send fragrances to markets worldwide, it is about keeping up to date with legislation, marketing and about selling. Quite different in industry: If you are one of the very few happy guys and girls who end up sitting on a desk in the perfume industry, and not in the dishwasher department or working on any other house hold annoyance, but composing true fragrance formula in industry, then you are primarily dealing with briefs from marketing or filling up drawers for future briefs. We should never forget: The marketing guys outnumber the perfumers.

I guess being a perfumer in industry is quite different to what I do. But then: If I wanted to work in industry, I would have used my PhD in chemistry to do exactly that.

I did not.


Cris: Of course, having a perfume house you are in charge of all phases to let your customer have your fragrances available, that is such a big work.

Your fragrances have many East influences not only in the concept behind them but also the use of high quality raw materials as Ambergris, Frankincense and others blended in a very unique way. Why have you decided to focus so much on this cultural approach as the base of your fragrances? Do you think that this may makes you a perfumer of just one influence source, I mean, only focused on East?

Andy Tauer: Olala...an interesting thought! It makes me wonder why I choose a certain range of materials. Is the “matière première” that I choose for my fragrances a signpost of what influences me? I do not think so. Maybe future scents from my scent kitchen will highlight rather a shift with time and a development from one fragrance to the next. Thus, I have the impression that I develop my fragrances in a different direction and gently move away from an earlier influence and an (near) Eastern context to an extended language and pictures. Maybe more towards an urban setting?

A comment on the side: I find it always dangerous to ask the creator about his creations. I am 100% convinced that a perfume lover is better suited to discover influences, developments, common lines etc. in my fragrances than myself. If I look at my creations I always look with an analytical mindset having a formula, ingredients and my painful way during the creation in mind; I am biased. Hence the perspective is totally different and you sniffing my line of fragrances will come up with different analysis that is probably fitting better.





Tauer Perfumes collection



Cris: It is clear that niche fragrances have been become more known in comparison to few years ago. Nowadays they are not popular but people are looking more for this market and buying more these perfumes. Do you think is it a risk for the niche perfumery principles, for a future banalization? What is your opinion about this issue now and how do you envisage it?

Andy Tauer: I thank you for this question! The banalization that you mention is not a future thing. It happens right now and I am advocating a distinction between niche perfume houses that are niche because their marketing is positioning them in a well defined segment of the market, and perfume houses that are niche because their fragrances are niche in a positive sense. And there, when I talk niche perfume in this sense, I talk about soul and spirits bottled!

Another way to address your question: Why do you think perfume lovers and the more even the average perfume consumers are looking into “niche”? Maybe we are all getting tired of soulless soups without any imagination, except when it comes to notes descriptions? I am convinced that we will see exciting fragrances coming along in the near future, niche fragrances from true niche houses will find their way into a broader markets than today. The biggest threat to niche scents might be legislation these days, especially in Europe, where we are faced with an European Commission regulating perfumery to death.


Cris: Chemicals restrictions is a sad issue as the oakmoss example...I believe only perfumers with brave souls will overcome it and keep some quality on their creations.

Andy, more than technical skills, the perfumery is based on how to convert the inspiration into a fragrance. It demands a lot of sensibilty in front of the real life and mainly relations between the perfumery and many fields of human knowledge. Taking into consideration this angle of view as well as your profile and story as a perfumer and your plans, what has moved your inspiration to perfume making nowadays?

Andy Tauer: I feel this is a hard question to answer as it needs a lot of self inspection and I am not good in this discipline. One would think that the big ruptures in our life are also the most important sources of inspiration, deep oceans compared to the every day life which is like a swallow puddle not leading us beyond a little idea. Looking at a peaceful life with only the drama that we all have to suffer, condition humana, like loosing parents, I miss these big ruptures that might open a path to a deeper truth. And I am not sure that it is the big moments that are important here. I can still remember standing next to an unknown man, in the tram, bringing me home after a day in the office, late in summer, patchouli, leather, and human musk after a day’s work. I think inspiration is everywhere: In the starting material (matière première), in nature, in humans, in the beautiful emanations of lily of the valley end May, or in exhaust of my old car, with the engine still cold, producing this slightly smoky, vibrant, gasoline rich, almost flowery fragrance. Inspiration is hence a complex network of lines, crossing our paths and we all must just take care to pick the lines up, following them and not letting loose.

To wrap it all up: Inspiration is everywhere. For all of us.


Cris: What beautiful thought, Andy... Inspiration is, most of times, in simple things. I truly believe in it.

It is interesting to notice that your fragrances are based in some traditional cultures as a back to the past. On the other hand, they are very contemporary and guide the perfumery to a new mindset where some cult fragrances as yours can be transformed into classics to be wore in the future. If your perfumes cover, in a direct manner, the past, the present and the future referencials, is the future of the perfumery to bring the past to the present and then to build the future? Tell us your point of view.

Andy Tauer: I answer this question after coming home from Düsseldorf, Germany, where I attended the Sniffapalooza event and where I engaged in many discussions with friends and fellow perfumers about niche and the future of niche. We came to the conclusion that the fragrance is often not the key parameter to position a scent in the niche corner, but rather it is marketing. And I cannot but be somewhat pessimistic when it comes to perfumery and how the past might influence the future. Look: The perfume industry is faced with restrictions and legislation like only a few other industries are. I sometimes feel it might be simpler to produce and market a scented cigarette then a scented alcoholic liquid, id est fragrance.

Thus, the past is the past (for perfume industry) and it will not come back. On one hand, the past relied on raw materials that the industry is not allowed to use anymore (or not in the amounts our grandfather perfumers would use them). And the perfumes of 100 years ago were luxury articles, made from expensive raw material, that only a few wealthy could buy. Nowadays, perfumery is serving the masses, which is good. Perfume has become a commodity. But there is a price to pay. There are not enough roses blooming for the masses.

What we can only hope for is that industry is willing to learn again, and studies the master pieces. And why perfume lovers love the old Mitsouko, but are worried about its flankers.

I must admit: I rarely study the new fragrances on the market. I look back to the classics and move on from there. But as I have said: I am niche in a niche and for niche there are enough roses blooming.




Shop by
Tauer Perfumes




Cris: Indeed, many roses among us... I appreciated this flowery comparison...

There is no doubts and I never denied to anyone that you are one of the best perfumers in my opinion. More than your mesmerizing creations, you have never attended a perfumery school and that is an impressive trace about something that I really believe: "Perfumery is not only founded and developed by people who have a formal education at perfume schools, but also for outstanding people that are self-taught or have a type of special gift, a distinguishable effort that make them to be ahead or in the same level of people that attended the formal education, for example". Unfortunately, the big perfume industry is very closed for potential autodidatic perfumers when those beat the doors of many companies. Since you are a type of entrepreneur and do your own business, what are the tips and/or advices that you should give for young or mature perfumers who still want to have a chance in this market or create their own business?

Andy Tauer: Well, well…(thinks hard): I am not sure whether I am the right guy to give recommendations here. I myself am still in a steep learning curve and –to be honest- made my mistakes, too. Let’s start maybe with: Remain loyal to yourself and what you think is beautiful. Do not try to please everyone or too many.

At the end of the day: Look into the mirror and ask yourself….Is this the fragrance I wanted to create?

Building a business: Take your time. Allow yourself to make mistakes and build your business in a way that a few mistakes won’t kill you. And always keep in mind: You are a little, little frog in a pond with many big, fat crocodiles.


Cris: (smiles)... you have a great sense of humor mentioning crocodiles, this made me think of some giant crocodiles in the market ... but you are absolutely right about "look at the mirror and ask if you did the right thing" . This question is something very wise and truly inspirational for all professionals no matter where they work for.

Andy, I am convinced that as any creative work, perfumers deal with some specific challenges during their perfume making processes that may be individual or collective ones. In your opinion, what are the major general difficulties that a perfumer has in his/her creative process of perfume making?

Andy Tauer: Now, I cannot really speak for industry. I have my guesses, though. I imagine that there, the cost of the raw material is a key limiting factor, as is the brief, respectively the client’s wishes in the course of the final development. Here, the perfumer is limited as he/she has to fulfil primarily the client’s wishes, even if they contrast sharply with ones own visions of beauty.

But as I have said: I cannot speak for industry.


Fragrant compounds flacons
by Tauer Perfumes


Cris: And what is your most individual challenge when you are creating a
fragrance?

Andy Tauer: My biggest challenge is the gap between an inner image that I have for a particular fragrance, and reality that does not fit with this image. This gap may exist for a variety of reasons. One is my incapability to find the right “words” or accords. There, the only remedy is learning, learning, learning. Another obstacle is the limitations set by legislation or by an organization like IFRA. These rules and recommendations are to be followed, but they restrict the use and the used concentration of certain materials. Some of these recommendations are more on the strange side, though.

There is another challenge. It is time. Time devoted to experiment, to sniff, to explore. I spend a large part of my time behind the computer screen and I wished I could spend more time next to the board with the bottles of my raw materials.


Cris: Many niche perfumes are, above all, an abstract art. The high quality raw materials can be considered as refined brushes and exotic colors which after being worked together open as result an stunning aura that is possible to imagine in a paiting, a fascinating feeling that is raised even the olfactory chords are not so clear in words. When you picture the image of your perfume before creating it, do you think of some art references as a real source of inspiration? Which ones?

Andy Tauer: Not really. In general terms maybe. Yes, there I tend to compare scents with painted pictures. But I am not visual enough to be truly inspired by a painted or printed image, be it a still picture or moving pictures like in a movie.

I once made a post on my blog where I was looking for a particular scene that might fit a particular fragrance. And I think I came up with an escalator, with lots of human beings passing by the camera, transported upwards. Back then I made a link to a music piece by Steve Reich. So you see: It less about a clear cut inspiration but more about an assembly of various impressions, visions, memories, that form into a line of thought that ultimately may end up as a fragrance in a bottle.

Here is such a starting point: There was a time when I was going to the gym to keep in shape. There, after the shower, I was usually confronted with Axe or something similar. In search for my personal gym scent, I mixed a green, flowery woody something. Basically, the core structure of what should become a Vetiver dance in the end. I leave it up to you to blame Axe for Vetiver dance.



Cris: What surprise! More because I'm a ex-Unilever lady (smiles)

Andy, you are known as the perfumer in search of the "orange flower note by Tauer". What is your history with this note ? It may be the question of many Andy Tauer Fans...

Andy Tauer: Now that’s a simple question: I just love the erotic scent of orange flowers, dirty and clean at the same time. In the natural absolute, by the concentration process, there comes even a wood line into the game. And a crystal clear vibrant note, that is almost metallic, sharp. How can one not dream of creating a fragrance around this natural treasure?

In my experience, orange flower is incredibly tricky to work with. I have made several attempts to approach this flower. The ultimate orange flower fragrance is still missing. But the l’eau d’épices that I presented in a preliminary version two years ago, and re-edited a while ago contains a nice orange flower line. Somewhat dark, quite sexy, with a green core.

And then there is the experimental fragrance, still missing a name, called Mandarines ambrées for now, that has a very prominent orange flower accord, but much more on the clean side. On the side: Both of them are not available in shops, yet.


Cris: Hmm, let me know... mandarines ambrées is a evocative name.

It is clear that you are an admirer of the legendary Edmond Roudnitska. He says something very delightful and interesting in his book Le Parfum (que sais-je? Press Universitaires de France) "Qu'est ce qu'un beau parfum? "Un beau parfum es celui susceptible de satisfaire des personnnes sensibles à la beauté sous touts ses formes. Pour devenir sensible à la beauté il faut s'y frotter, la contempler , partout où elle se trouve: dans la nature, puis dans les oeuvres d'art de tous les lieux, de touts les temps pour en comprendre l'evolution.( "What is a beautiful fragrance? "A beautiful fragrance is that one susceptible to satisfy the people who are sensitive by the beauty in all its forms. To become sensitive to the beauty it is necessary to touch it, contemplate it, wherever the beauty is, in the nature and then, in the art pieces of all places, of all the times to understand the evolution").

What are the main learnings about Roudnitska that you bring to your perfumery or that perfumers should consider?

Andy Tauer: I have a hand written note sticked to my bench lamp, next to the computer. There I wrote down the 5 criteria that Edmond Roudnitska described to be the parameters for a good fragrance. They are described in the booklet you mentioned. “...les qualities fondamentales du grand parfum: caractère, vigueur, pouvoir diffusant, delicatessen, claret, volume, persistence.” Every now and then I test my creations against these criteria and often they fail to pass this test.

I also admire Roudnitska for his passion, and endurance and how cared about the metier and the art of perfumery.


Cris: Still regarding to Roudnitska's lines. Reading them, I see that nowadays, our society is very massificated and alienated and most of time is not interested in the art contemplation. If you think about recent massive fragrances, totally tasteless, this scenery just reinforces that people will not develop easily some sense of art in the perfumery, for example. Since meeting the beauty is up to each of us, the market seems not to be concerned about it and you are a perfumer that values the beauty, what is the perfumery for you today and how will be its future?

Andy Tauer: Hmmm…. waits a while before answering. You are talking about an industry. A big industry, producing scented products. Art has no place there. I am sorry. But then: I do not think ART is what the average consumer is looking for. Mr. average unknown buyer of eau de toilette wants to smell nice, according to what is fashionable today. He picks what is there in the shelves. And there is nothing wrong about it. Looking at it from another angle: Maybe it is an art form to create something smelling nice for a basically nothing and produce it by the millions? Maybe the art is residing within the marketing? Some of the movies and ads are master pieces. Like Chanel 5’s TV ads.


Cris: That sounds interesting. I had never thought about it under this angle. Even we expect more art criteria before releasing a new fragrance, people are not looking for art, marketing may be an art . But a little more harmony on fragrance is welcome, the demanding consumer will be grateful.

Andy, many perfumers have a signature. Others afirm that they don't have. Do you have one? Share with us.

Andy Tauer: People say I have one. Mid march there was a post about the upcoming Rose chyprée on Perfumeposse, where March discussed this issue, too. To be honest: I was told so often that my fragrances have a signature that I started believing it. It must be something woody-orris root-ambergris like, quite complex because I am still trying to find out. (smiles)




Oriental Market in Tunisia by Andy Tauer



Cris: (smiles too)...Maroc pour elle and L'air du desert Marocain are very feminine fragrances, although very wearable for men also. They are also seductive and very aligned to this oriental component of mysterious and exotic feminility. On the other hand, the oriental culture has a traditional role for the women, including they don't have much freedom to expand their seduction behaviours in the reality(at least, not clearly in the society). Apparently it is very controversial because Middle Eastern fragrances, for example, have powerful seduction and are sultry fragrances, very valuable in the art of love and attraction. Taking into consideration your experience with these cultures, what do you think of about it?

Andy Tauer: Now things get somewhat difficult. I have a simple allegory for society when it comes to sex and the rules imposed by society. It is a pan with cooking water. The tighter you close the lid the hotter the steam will get out and it will always find a way out. In order to understand, we might want to read some Freud, too. I did when I was 18 years old. Maybe not the perfect literature for a young guy, but highly educative. By oppression of sexuality, society gains something: A conversion takes place; the steam (in my picture with the pan and the hot water) may turn on an engine. All this suppressed sexual energy needs to go somewhere. It may be directed into religious worship like 1000 years ago, it may be directed into shopping and other addictions; it may lead to perversion.

Cris: good point evaluated, suprressed energy can generate others developments...

Andy Tauer: Anyhow: When we talk “traditional roles”, we should also distinguish between culture and oppressive male regimes; authority structures of powers relying on the suppression of 50% of the population i.e. the women. To make this clear: There is a difference between the culture of a wearing a simple veil in public and the Burka, that is suppressive and simply does not fit this world anymore. It is about enlightenment! Now, coming back to the pan with the hot water: so you see, perfume is another way how the steam can get out. Perfumes are a sensual matter and smelling perfumes in the air may bring about associations to warm flesh, body odours, all sublime and hidden. It is like a sensual universe, a fragrant boudoir in an environment where there is no place for public encounter of the sexes, for public tenderness, for playing the eternal game.


Cris: Amazing point of view...

By the way, do you consider that some perfumers and their fragrances are inspirational for you, a type of "benchmarking" in the perfume making? If so, who are them and why?

Andy Tauer: Sure there are: Like Knize Ten; one of the best leathers there are. We are talking real leather! Or take Diorissimo by E. Roudnitska, a wonderful aldehydic floral, almost a soliflore, a perfect construction, art in a bottle. These and other classics are fragrances that I study again and again. Others are for instance Palisander (Comme des Garcons), Cuir de Russie (Chanel), just to name a few.


Cris: I read that you have done some perfume presentations. They are only about an alternative advertisement method or do you intend to develop a specific work as olfactory events in a regular time?

Andy Tauer: Yes, I do present my work. Now, to be precise: I have done so in the US, at Luckyscent’s. In Zurich, I invite ever year shortly before X-mas for a so called “Duftapéro =scent getting together”. There, I usually serve drinks, food, we combine the scents with a lecture and I focus less on a fragrance but more on a theme, like last year: Rose. I regard this event more on an educative side than a marketing thing, and for me it is a wonderful occasion to meet perfume lovers and say thank you for their support and interest in the past.

When at Luckyscent, I was always showing a fragrance, but I do not sell it. Indeed, I do not think this is my role when I am there. I consider myself an entertainer with an educative statement. I present fragrant materials, like rose absolute and phenylethylalcohol. The phenylethylalcohol is a synthetic compound, with a fine scent of rose, very floral, slightly green; and it is a major component of rose absolute. Thus, I show the two on paper strips and then folks can bring them together and experience the magic that happens under their noses. The rose absolute gets lighter, starts to reach out and the phenylethylalcohol become a real flower scent, rich and voluptuous.

Thus, I hope to raise awareness for what perfumery was all about in the past and what perfume lovers should look for, and how I create fragrances.


Cris: I absolutely love roses, mainly those voluptuous and oniric ones.

Andy, there is a paradox in the perfumery in which the fragrance may be considered a mask (and provides people the possibility of being who they want to be, as an adornment) and also be considered a real "self "( and represents what people really are). What do you think about?

Andy Tauer: May I add another aspect? I thought about these lines a while ago: November 2008 to be precise at the big exhibition and retrospection of Sand Murray-Wassinsk’s art in Munich. Wearing perfume is also about occupying space. By perfuming myself I reach out, extend the sphere of myself. Of course, this sphere may mix with other spheres, with its boundaries not sharp, only vaguely defined. In a sense, by reaching out, I protect myself, too. I walk all day long in a nice scented sphere that I define in its intensity and form and colour. Thus, we might wear perfumes because the fragrance melts into our skin, is a second skin to us, becomes part of us, or because we want to cover up whatever seems not appropriate, or we want to reach out, and hence occupy space and protect us.

One word about the mission cover up: Dare to explore what you try to cover up. Our own scent is not so bad at all.


Cris: Tell us your next projects (or something about them which you can
antecipate for your fans)

Andy Tauer: I have several projects going on: There is the “Une rose chyprée” that is finished and that I prepare to launch some when in the coming months as the starting point of the Tauer Perfumes mémorables line. Mémorables is a line of fragrances that are either expensive to make, or are very hippieJ, all of them in either a perfume or eau de parfum concentration.

Then I am still working on another rose fragrance, and a few still too early to talk about ideas..

Cris: Great! Finalizing this amazing interview, what is the scent of Andy Tauer? That one that you can't live without.

Andy Tauer: Hmm... I guess it is always the one I am working on right now. Something like a addiction during creation.


Cris: Thank you very much, Andy. You are absolutely fascinating as your perfumes on my skin.

Perfume da Rosa Negra wishes you successful accomplishments. In the name also of all my international readers and the Brazilian audience, thanks again.


Tauer Perfumes can be found at Tauer's Shop. The online shop also offers samples purchase. For more information, visit Andy Tauer's site.


Photos credits: Copyright Tauer Perfumes. All rights reserved.
Interview by Cristiane Gonçalves aka Cris Rosa Negra.
Interview protected by copyright in the law terms. Forbidden any reproduction without written permission of Perfume da Rosa Negra.


(Portuguese Version)

O mundo da perfumaria é um mundo real e imaginário. E quando se junta os contrastes : a minha realidade e a minha fantasia trazendo aqui, para um grande encontro, um sonho que se torna real? Eu fiz isso, encontrei um designer de fragrâncias que traz à minha realidade o sentimento de admirá-lo como um competente profissional e, ao mesmo tempo, também suas fragrâncias e seu trabalho como um todo.

Neste mundo perfumado, há alguns encontros abençoados quando fantasias e realidades perfumadas estão profundamente juntas para se transformar em uma única verdade. E minha verdade hoje é que fui honrada em unir aqui, no Perfume da Rosa Negra, um dos meus perfumistas favoritos, Andy Tauer, dono e perfumista da Tauer Perfumes, localizada na Suiça. Para mim, ele é criador de fragrâncias e a própria criação perfumada, maravilhosamente próximos ao meu mundo de perfumes. Um perfumista fabuloso, que tem um trabalho igualmente fabuloso e também uma pessoa admirável como um verdadeiro ser humano. Entre suas fragrâncias, as minhas favoritas são L'air du desert marocain e Incense Rosé, personagens das minhas reais experiências olfativas.

Espero que disfrute este grande momento e, se não conhece ainda os perfumes da Tauer Fragrances , visite o website de Andy Tauer e reserve um tempo para experimentar suas fragrâncias de alta qualidade, em nome da perfumaria arte.

Perfumadamente,

Cristiane Gonçalves aka Cris Rosa Negra

(Nota do editor)


Cris: Andy, você é um tipo de perfumista "outsider". Você tem uma casa de perfumes independente. É considerando um perfumista cult. Você faz parte da perfumaria global, especificamente está na Suiça e não em Paris e Nova York, que como dizem são os grandes centros da perfumaria. No entanto, você é um dos melhores perfumistas, um completo "insider" na criativa arte em perfumaria, você é amado por muitas pessoas que vêem a sua perfumaria como excepcional e uma das melhores do mundo. Como você lida com este fato de ser um outsider e, ao mesmo tempo, um insider nesta indústria?

Andy Tauer: Você sabia que a 10 km da minha casa você encontra os laboratórios da Givaudan, onde alguns dos melhores perfumistas e químicos trabalham juntos para trazer , por exemplo, flores tropicais de volta à vida depois de analisar estes tesouros perfumados usando tecnologia espacial na selva? Eu aposto: Algumas das fragrâncias mais inovadoras são de lá, em uma distância à pé de minha casa até as gavetas de um laboratório cinza, esperando um cliente valente o suficiente para marchar a uma nova terra (Infelizmente e, aparentemente, os clientes destas casas de perfumes são mais difíceis de encontrar do que boa qualidade de óleo de rosas).

Então veja: Suiça com sua química orgânica de alto nível , Givaudan, Firmenich e outras companhias é o verdadeiro "hotspot" quando o assunto é fragrâncias.

Mas eu acho que esta não foi a sua questão, certo? De fato, eu sou muito mais um outsider. E acredite: Isso ajuda se você tem uma abordagem em perfumaria da forma que eu tenho! Para mim, a perfumaria é primeiro e acima de tudo, uma iniciativa criativa; é por criar fragrâncias que eu acho que é interessante e emocionante. É como contar histórias com aromas. Logo, é sobre aproximar pessoas com aromas e explicar a elas. E ultimamente, por ter um negócio onde eu envio fragrâncias para os mercados mundiais, é também sobre manter-me atualizado com legislação, marketing e vendas. É diferente na indústria: Se você é um dos poucos homens e mulheres felizes, que terminam o dia sentados em suas cadeiras na indústria de perfumes, e não em uma área de lava-louças ou de utensílios domésticos,mas compondo verdadeiras fórmulas de perfumes na indústria, logo você está primariamente lidando com briefs de marketing ou os arquivando em gavetas para briefs futuros. Nós nunca podemos esquecer: Os caras de marketing são mais numerosos que os perfumistas.

Eu acho que ser um perfumista na indústria é muito diferente do que eu faço. Mas então: Se eu quisesse trabalhar na indústria, eu teria usado meu doutorado de química para fazer exatamente isso.

E eu não fiz.


Cris: Certamente, ter uma casa de perfumes no qual você é responsável por todas estas fases até que suas fragrâncias cheguem ao cliente é um grande trabalho.

Suas fragrâncias tem muitas influências orientais, não somente no conceito por trás delas mas pelo uso de matérias primas de alta qualidade como o âmbar cinzento, o olíbano e outros misturados de um forma bem única. Por que você tem optado por focar nesta abordagem cultural como base das suas fragrâncias? Você acha que , de certa forma, isso o torna um perfumista de uma única influência, ou seja, focado no Oriente?

Andy Tauer: Olala...este seu pensamento é interessante! Ele me faz imaginar porque eu seleciono um certo portfólio de materiais. Este "matière première” que eu escolho para minhas fragrâncias é um sinal do que me influencia? Eu não acho. Talvez aromas futuros advindos do meu laboratório irão se destacar com o tempo, antes de uma mistura ou outra e do desenvolvimento de uma fragrância para a próxima. Deste modo, eu tenho a impressão de desenvolver minhas fragrâncias em uma direção diferente e gentilmente mudando de uma influência prévia ou contexto próximo do Ocidente para uma linguagem extendida e imagens. Talvez mais em direção de uma configuração urbana?

Um comentário ao lado: Eu sempre acho perigoso perguntar ao criador sobre suas criações. Eu estou 100% convencido que um amante de perfumes é alguém melhor apropriado para descobrir influências, desenvolvimentos, intersecções, etc. em minhas fragrâncias do que eu mesmo. Se eu olhar para minhas criações eu sempre olho com uma forma de pensar analítica, tendo a fórmula, ingredientes e com o árduo caminho da criação em minha mente; eu sou suspeito. De aí em diante, a perspectiva é totalmente diferente e você cheirando minha linha de perfumes aparecerá com uma análise diferente , que provavelmente se encaixará melhor.


Cris: É evidente que as fragrâncias de nicho têm se tornado mais conhecidas em comparação a anos atrás. Atualmente elas não se tornaram popular mas as pessoas estão buscando mais este segmento do mercado e comprando estas fragrâncias. Você acha que isso é um risco para os princípios da perfumaria de nicho, para a futura banalização? Qual sua opinião sobre isso e como sua visão de futuro a respeito?

Andy Tauer: Eu te agradeço por esta pergunta! A banalização que você menciona não é algo futuro. Já está acontecendo agora e eu estou advogando uma distinção entre as casas de perfumes de nicho que são nicho porque o marketing deles as está posicionando em um segmento de mercado bem definido e casas de perfumes que são nicho porque as fragrâncias deles são nicho em um senso positivo. E lá, quando eu digo que um perfume é nicho neste sentido, eu estou me referindo a almas e espíritos em frascos.

Outra forma de endereçar esta questão: Por que você acha que os amantes de perfumes e até mesmo a média geral de consumidores de perfumes estão procurando por "nicho"? Talvez eles estão cansados das misturas sem alma, sem nenhuma imaginação, exceto quando isso chega com as descrições das notas? Eu estou convencido que nós veremos perfumes incríveis que virão no decorrer de um futuro próximo, fragrâncias de nicho de verdadeiras casas de nicho, que encontrarão a forma deles de avançar em mercados amplos em comparação ao hoje. A grande disputa para os aromas de nicho poderá ser a legislação dos dias atuais, especialmente na Europa, onde nós damos de cara com a Comissão Européia regulando a perfumaria para a morte.

Cris: Restrições de algumas matérias primas como o musgo de carvalho é uma assunto lamentável... Eu acredito que somente perfumistas com almas valentes irão superar e manter qualidade em suas criações, mesmo com as restrições.

Andy, mais do que habilidades técnicas, a perfumaria é baseada em como converter a inspiração em fragrância. Isso exige bastante sensibilidade em frente a vida real e principalmente nas relações entre perfumaria e muitos campos do conhecimento humano. Levando isso em consideração, assim como o seu ponto de vista, seu perfil e sua história como perfumista e seus planos, atualmente o que tem guiado sua inspiração na composição de perfumes ?

Andy Tauer: Eu sinto que esta questão é difícil de responder porque é preciso bastante introspecção e eu não sou muito bom nesta disciplina. Poderia pensar que as grandes rupturas em nossa vida são também as mais importantes fontes de inspiração, oceanos profundos comparados à vida cotidiana, que é como um gole de lama que não nos move além de uma pequena idéia. Olhando uma vida calma com um único drama que todos nós temos que sofrer , a condição humana, como perder os pais, eu sinto saudades destas grandes rupturas que podem abrir um caminho para uma verdade mais profunda. E eu não estou certo que se são os grandes momentos que são importantes aqui. Eu ainda lembro que, estando próximo a um homem desconhecido, numa rua com carros, voltando de casa após um dia no escritório, tarde no verão, patchuli, couro e o almíscar humano após um dia de trabalho. Eu penso que inspiração está em todos os lugares: no material inicial de trabalho (matière première), na natureza, nos humanos, nas bonitas emanações do lírio do vale nos fins de Maio, ou na exaustão de meu velho carro, com o motor ainda frio, produzindo aquele cheiro levemente esfumado, vibrante, rico em gasolina, quase uma fragrância floral. Inspiração é , portanto, uma completa rede de linhas, cruzando nossos caminhos e nós todos devemos cuidar para pegar estas linhas, seguí-las e não deixá-las folgadas.

Tudo isso para concluir que: Inspiração está em todo o lugar. Para todos nós.


Cris: Que belo pensamento, Andy... Inspiração está, na maioria das vezes, em coisas muito simples. Eu acredito piamente nisso.

É interessante notar que suas fragrâncias são baseadas em algumas culturas tradicionais como a volta ao passado. Por outro lado, elas são contemporâneas e guiam a perfumaria para um novo mindset no qual as fragrâncias consideradas cult como as suas podem ser transformadas em clássicos para serem usados no futuro. Se os seus perfumes cobrem, de uma certa forma, as referências de passado, presente e futuro, será o futuro da perfumaria trazer o passado ao presente e , desta forma, construir o futuro?

Andy Tauer: Eu respondo a questão depois do meu retorno de Düsseldorf na Alemanha, onde eu participei de um evento da Sniffapalooza e me engajei em muitas discussões com amigos e colegas da perfumaria sobre a perfumaria de nicho e o seu futuro. Nós chegamos a conclusão que a fragrância não é o parâmetro chave para posicionar um aroma como de nicho, mas antes de tudo, o marketing. E eu não posso... mas ser um tanto pessimista quando isso vem à perfumaria e como o passado poderia influenciar o futuro. Veja: A indústria de perfumes se confronta com restrições e legislação de uma forma que somente poucas indústrias o estão. Algumas vezes penso que seria mais simples produzir e colocar no mercado uma cigarro perfumado que um líquido alcóolico perfumado, ou melhor, a fragrância.

Desta forma, o passado é o passado(para a indústria de perfumes) e isso não voltará. De um lado, o passado contava com matérias primas que a indústria de hoje não é permitida a usar mais( ou não em quantidades que nossos avós perfumistas costumavam usar) . E os perfumes de 100 anos atrás eram artigos de luxo, feito de caros componentes, que somente pessoas abastadas poderiam comprar. Atualmente, perfumaria está servindo as massas, o que é bom. Perfumaria tem se tornado produto de consumo. Mas há um preço a pagar. Não há rosas suficientes florescendo para as massas.

O que nós só podemos esperar disso tudo é que a indústria possa aprender novamente, e estude as grandes obras. E por que amantes de perfumaria amam Mitsouko, mas estão preocupados como os seus relançamentos alterados.

Eu tenho que admitir: Eu raramente estudo as novas fragrâncias do mercado. Eu olho para os clássicos e parto a partir daí. Mas como eu tenho dito: Eu sou de nicho e para os de nicho há suficientes rosas florescendo.


Cris: De fato, muitas rosas florescendo entre nós... apreciei bastante esta comparação...

Não há dúvidas e eu nunca neguei que você é um dos melhores perfumistas na minha singela opinião. Mais do que ter criado fragrâncias inesquecíveis, você nunca frequentou uma escola de perfumaria e isso é um traço importante de algo que eu também acredito:"Perfumaria não é fundada e desenvolvida somente por pessoas que tem uma educação formal em escolas de perfumes, mas também por pessoas performáticas que são autodidatas ou tem um tipo de talento natural , um esforço diferenciado que as projeta para frente ou no mesmo nível de profissionais que também tiveram uma educação mais formal neste campo." Infelizmente, a grande indústria de perfumes está bem fechada a este público mais autodidata quando estes batem em suas portas. Considerando que você é um empreendedor e faz o seu próprio negócio, quais são as dicas e/ou conselhos que você poderia dar a estes jovens ou maduros perfumistas que ainda pretendem ter a grande chance neste mercado ou, até mesmo, criar seus próprios negócios?

Andy Tauer: Bem, bem…(pensando arduamente): Não estou certo se sou a pessoa certa para dar recomendações aqui. Eu estou ainda em uma curva excessiva de aprendizagem e - para ser honesto - cometi meus erros também. Vamos começar, talvez, com isso aqui: Mantenha-se fiel a você mesmo(a) e com o que você acha que seja bonito. Não tente agradar todo mundo ou exageradamente a muitos.

No fim do dia: Olhe para o espelho e pergunte a você mesmo ….É esta a fragrância que eu queria criar?

Construa o seu negócio: Use o tempo que for necessário. Permita a você mesmo cometer erros e construa o seu negócio de uma forma que poucos erros não irão matar você. E sempre tenha em mente: Você é um pouco, pequeno sapo em um lago com muitos crocodilos grandes e gordos.


Cris: (risos).. que grande senso de humor mencionando os "crocodilos", isso me faz pensar nos crocodilos gigantes que há no mercado (risos)... mas você está absolutamente certo sobre "olhar no espelho e perguntar se você fez a coisa certa. E não a certa para o outro, mas a certa a você mesmo." Esta questão é muito sábia e inspiracional para todos os profissionais, não importa de qual ramo sejam.

Andy, estou convicta que qualquer trabalho criativo, perfumistas lidam com alguns desafios bem específicos durante os processos de composição de um perfume que podem ser individuais ou coletivos . Na sua opinião, quais são as maiores e gerais dificuldades que um (a) perfumista quando cria um perfume?

Andy Tauer: Agora, eu não posso realmente falar pela indústria. De qualquer orma, eu tenho algumas opiniões. Eu imagino que lá, o custo de matéria prima é um fator limitante, como é o brief, respectivamente os desejos do cliente no curso do desenvolvimento final. Aqui, o perfumista já se limita quando ela/ele tem que preencher primariamente os desejos do cliente, mesmo que eles se oponham , de forma severa, com suas próprias visões de beleza.

Mas como eu disse: Eu não posso falar pela indústria.


Cris: E qual é o seu maior desafio pessoal quando está criando uma fragrância?

Andy Tauer: Meu maior desafio é a lacuna entre a imagem interna que eu tenho por determinada fragrância e a realidade que não se ajusta a esta imagem. Esta lacuna pode existir por uma variedade de razões. Uma é a minha incapacidade de encontrar as "palavras" certas ou acordes. Então, a única solução é aprender, aprender, aprender. Outro obstáculo são as limitações impostas pela legislação ou por uma organização como a IFRA (Associação internacional de fragrância). Estas regras e recomendações têm que ser seguidas, mas eles restringem o uso e a concentração usada de certos materiais. Algumas destas recomendações estão, de qualquer forma, mais do lado estranho.

Há um outro desafio. É o tempo. Tempo dedicado a experimentar, cheirar, explorar. Eu gasto boa parte do meu tempo atrás da tela de um computador e eu gostaria de gastar mais tempo próximo aos meus frascos com matérias primas.


Cris: Muitos perfumes de nicho são , acima de tudo, uma arte abstrata. A alta qualidade de matérias primas podem ser consideradas como pincéis refinados e cores exóticas que depois de terem sido trabalhadas juntas, dão espaço a um resultado bem peculiar, uma aura incrível que é possível imaginá-la como uma pintura, um sentimento fascinante é despertado mesmo que os acordes olfativos não sejam claros em palavras. Quando você pinta a imagem de um perfume seu, antes de criá-lo, você pensa em algumas referências de arte como uma fonte real de inspiração?Quais?

Andy Tauer: Realmente não. Em termos gerais, talvez. Sim, eu tendo a comparar meus aromas com pinturas. Mas eu não o suficiente visual para estar verdadeiramente inspirado por uma imagem pintada ou impressa, seja isso uma imagem ou imagens em movimento como em um filme.

Uma vez eu escrevi um post em meu blog onde eu estava olhando para determinada cena, que poderia se ajustar a uma fragrância em particular. E venho à minha mente uma escada rolante, com muitas pessoas passando por uma câmera, transportadas para cima. Então fiz uma relação com uma peça de música de Steve Reich. Então veja: É muito mais uma união de várias impressões, visões, memórias e muito menos uma inspiração clara e formatada. É essa forma de ter uma linha de pensamento que pode finalizar-se em um perfume dentro de um frasco.

Isso é só um ponto inicial: Teve uma vez que eu estava indo à academia para manter-me em forma. Lá, depois de uma chuveirada, eu era normalmente confrontado com Axe ou algo similar. Na procura do meu aroma pessoal para a academia, eu misturei algo verde, floral amadeirado. Basicamente, a estrutura central do que poderia se tornar um Vetiver Dance no final. Deixo isso a vocês para culpar Axe por Vetiver Dance.



Cris: Que surpresa! Mais porque sou uma ex-Unilever (risos).

Andy, você é conhecido como o perfumista em busca da "nota de flor de laranjeira por Tauer" Qual é a sua história com esta nota? Esta pode ser a questão de muitos fãs de Andy Tauer...

Andy Tauer: Agora esta é uma questão simples: Eu gosto do cheiro erótico das flores de laranjeira, sujo e limpo ao mesmo tempo. No absoluto natural, pelo processo de concentração, lá aparece uma linha amadeirada no jogo. E uma nota de cristal clara e vibrante, ela é quase metálica, penetrante. Como pode alguém não sonhar em criar uma fragrância em volta deste natural tesouro? Em minha experiência, a flor de laranjeira é incrivelmente trapaceira para trabalhar . Eu fiz várias tentativas para aproximar-me desta flor. A última flor de laranjeira ainda falta. Mas o l’eau d’épices que é apresentado em uma versão prelimiinar dois anos atrás, e reeditado há um tempo atrás contém uma bela linha de flor de laranjeira. Algo escuro, sexy, com um coração verde.

E há, então, uma fragrância experimental, ainda falta o nome...chamada Mandarines ambrées por agora; ela tem um prominente acorde de flor de laranjeira, no entanto mais focado no lado mais limpo. Ambas não estão ainda disponíveis nas lojas.


Cris: Oh Andy, eu já os desejo(risos). Mandarines ambrées é um nome bem evocativo.

É claro que você é uma admirador do legendário Edmond Roudnitska. Ele diz algo que considero de puro deleite no seu livro Le Parfum (que sais-je? Press Universitaires de France) "Qu'est ce qu'un beau parfum? "Un beau parfum es celui susceptible de satisfaire des personnnes sensibles à la beauté sous touts ses formes. Pour devenir sensible à la beauté il faut s'y frotter, la contempler , partout où elle se trouve: dans la nature, puis dans les oeuvres d'art de tous les lieux, de touts les temps pour en comprendre l'evolution.( "O que é uma bonita fragrância? "Uma fragrância bonita é aquela suscetível a satisfazer as pessoas que são sensíveis à beleza em todas as suas formas. Para se tornar sensível à beleza, é necessário tocá-la, contemplá-la, onde quer que a beleza esteja, na natureza e então, nas peças de artes em todos os lugares, de todos os tempos para entender a evolução").

Quais são os principais aprendizados de Roudnitska que você traz para a sua perfumaria ou que perfumistas deveriam considerar?

Andy Tauer: Eu tenho uma nota escrita à mão, que está sinalizada para a lâmpada, próxima ao computador. Lá eu escrevi cinco critérios que Edmond Roudnitska descreveu como sendo os parâmetros para uma boa fragrância. Elas são descritas no livreto que você mencionou... “...les qualities fondamentales du grand parfum: caractère, vigueur, pouvoir diffusant, delicatessen, claret, volume, persistence.” (as qualidades fundamentais de um grande perfume: caráter, vigor, poder de difusão, delicadeza, clareza, volume, persistência)"

Desde então, eu testo minhas criações usando estes critérios e frequentemente elas falham no teste.

Eu também admiro Roudnitska pela sua paixão e endurance e como ele cuidou do metier e da arte da perfumaria.


Cris: Ainda com relação às palavras de Roudnitska. As lendo vejo que hoje em dia, nossa sociedae é massificada e alienada e maioria das vezes não está interessada em contemplar a arte. Se você pensa nas fragrâncias recentes e massivas, totalmente sem gosto, este cenário somente reforça que as pessoas não irão desenvolver facilmente um senso de arte em perfumaria, por exemplo. Desde que encontrar a beleza cabe a cada um de nós, o mercado parece não estar preocupado com isso e você é um perfumista que valoriza a beleza, o que é a perfumaria para você hoje e como será o futuro da mesma?

Andy Tauer: Hmmm…. espere um pouco antes de eu responder... Você está falando sobre a indústria. Uma grande indústria, produzindo produtos perfumados. A arte não está lá. Lamento. Mas então: Eu não acho que Arte é o que a média de consumidores estão procurando. Digamos o desconhecido Senhor comprador de Eau de Toilette, parte desta média , ele quer cheirar bem, de acordo com o que é moda hoje. Ele pega o que está lá nas gôndolas. E não há nada errado contra isso. Olhando assim por outro ângulo: Talvez isso é uma forma de arte, criar algo que cheira bem para basicamente nada e produzir isso para milhões? Talvez a arte está residindo no marketing? Alguns filmes e publicidades são obras primas. Como os anúncios de Tv do Chanel n.5.


Cris:
Isso soa bem interessante. Eu nunca tinha pensado sobre isso sob este ângulo. Mesmo que esperemos alguns critérios mais dentro do metier da perfumaria como arte , antes de qualquer novo lançamento, as pessoas não estão procurando por arte, o Marketing pode ser uma arte... mas um pouco mais de harmonia nas fragrâncias é bem-vinda, o consumidor exigente agradece.

Andy, muitos perfumistas tem uma assinatura olfativa. Outros afirmam que não. Você tem alguma?

Andy Tauer: Pessoas dizem que eu tenho uma. No meio de março havia um post no Perfumeposse sobre o Rose chyprée que está por vir, no qual se discutia este assunto também...Para ser honesto: É tão frequente me falarem que tenho uma assinatura que eu comecei a acreditar nisso. Ela deve ser algo como um cheiro de raiz de âmbar cinzento, amadeirado com íris, realmente complexa porque eu estou tentando encontrá-la(sorrisos)

Cris: (sorrisos também)...Maroc pour elle e L'air du desert Marocain são fragrâncias bem femininas, embora caíam muito bem para homens. Elas são sedutoras e bem alinhadas a este componente oriental de misteriosa e exótica feminilidade. Por outro lado, a cultura oriental tem um papel tradicional para as mulheres, incluindo que elas não têm muita liberdade de expandir seus comportamentos sedutores na realidade (pelo menos, não claramente na sociedade). Aparentemente é bem controverso porque as fragrâncias do Oriente Médio, por exemplo, tem um poderoso aroma sedutor e sultano, bem valorizadas pela arte do amor e da atração. Levando em consideração a experiência que tem com estas culturas, o que pensa a respeito?

Andy Tauer: Agora as coisas se tornam difíceis. Eu tenho uma alegoria bem simples para a sociedade quando há questõs de sexo e regras impostas pela mesma. É como uma panela com água fervendo. Quando mais você pressiona a tampa ao fechá-la, mais quente o vapor irá escapar e ele sempre encontrará uma saída. Para entender, nós poderíamos ler algo de Freud também. Eu fiz isso quando eu tinha 18 anos. Talvez não a perfeita literatura para um garoto jovem, mas altamente educativa. Pela opressão da sexualidade, a sociedade ganha algo: A conversão toma lugar; o vapor (na minha imagem com a panela e a água quente) pode ligar um motor. Toda esta energia sexual suprimida precisa ir a algum lugar. Ela pode ser direcionada para a exaltação religiosa como 1000 anos atrás, pode ser direcionada a compras e outros vícios, pode seguir o caminho da perversão.

Cris: Ponto bem avaliado. Energia canalizada gera outros desdobramentos...

Andy Tauer: De qualquer modo, quando nós falamos de "papéis tradicionais" , nós teríamos que distinguir entre a cultura e os regimes masculinos oppressivos; estruturas autoritárias de poder contam na supressão de 50% da população, exemplo das mulheres. Para tornar isso claro: Há uma diferença entre a cultura de vestir um simples véu em público e a Burka, isso é supressivo e simplesmente não se encaixa mais no mundo. É sobre esclarecimento! Agora, voltando à panela com água quente: então veja, perfume é outro modo de como deixar o vapor sair. Perfumes são um assunto sensual e cheirar perfumes no ar pode trazer associações como a carne quente, os odores do corpo, todos sublimes e escondidos . É como um universo sensual, o perfumado boudoir em um ambiente onde não há lugar para o público encontro dos sexos, para a pública ternura, para jogar o eterno jogo.


Cris: Incrível visão, Andy!

A propósito, você acha que alguns perfumistas e suas fragrâncias são inspiracionais para você, uma espécie de "benchmarking" em fazer perfumes? Se sim, quem são eles e por que?

Andy Tauer: Claro, eles são: Like Knize Ten; um dos melhores couros que há. Estamos falando do couro real! ou Diorissimo de E. Roudnitska, um maravilhoso aldeídico floral, quase um soliflore, uma perfeita construção, arte em garrafa. Estes e outros clássicos são fragrâncias que eu estudo de novo e de novo. Outros são , por exemplo, Palisander (Comme des Garcons), Cuir de Russie (Chanel), somente para nomear alguns.


Cris: Li que você tem feito algumas apresentações. Elas são somente um alternativo método de publicidade ou você pretende desenvolver trabalhos específicos como eventos olfativos em tempos regulares?

Andy Tauer: Sim, eu apresento meu trabalho. Agora, para ser preciso, eu tenho realizado isso nos Estados Unidos, na Luckyscent’s. Em Zurique, eu convido todo ano, um pouco antes do Natal para um evento chamado “Duftapéro =scent getting together”. Lá, normalmente eu sirvo drinks, comida, combinando aromas com leitura e eu foco menos na fragrâncias, mas muito mais no tema, como no ano passado: a Rosa. Eu relaciono este evento muito mais a uma abordagem educativa que uma ação de marketing , e para mim é uma ocasião maravilhosa para encontrar amantes da perfumaria e dizer muito obrigado por todo o suporte e interesse no passado.

Na Luckyscent, eu estava sempre demonstrando uma fragrância, mas eu não a vendo. De fato, eu não acho que este é o meu papel quando estou lá. Eu considero a mim mesmo muito mais aquele que entretém com uma afirmação educativa. Eu apresento matérias fragrantes, como a rosa absoluta e o phenylethylalcohol. O phenylethylalcohol é um composto sintético, com um aroma refinado de rosa, muito floral, delicadamente verde; e este é o maior componente da rosa absoluta. Assim, eu mostro os dois em tiras de papel e então os colegas podem uní-los e experimentar a mágica que acontece embaixo de seus narizes. A rosa absoluta fica mais leve, começa a chegar e o phenylethylalcohol torna-se o cheiro verdadeira de uma flor, rica e voluptuosa.

Deste modo, eu espero aumentar o conhecimento básico que foi a perfumaria no passado e o que os amantes de perfumes deveriam buscar, e como eu crio fragrâncias.


Cris: Eu absolutamente amo rosas, principalmente as voluptuosas e oníricas.

Andy, há uma paradoxo na perfumaria no qual a fragrância pode ser considerada uma máscara(e prover às pessoas a possibilidade de ser o que elas querem ser, como um adorno) e também ser considerada um real "eu"(e representar o que elas realmente são). O que pensa a respeito?

Andy Tauer: Eu poderia adicionar mais um aspecto? Eu pensei sobre isso há um tempo: Novembro de 2008, para ser preciso em uma grande exibição e retrospectiva da arte de Sand Murray-Wassinsk em Munique. Usar um perfume é algo sobre ocupar espaço. Perfumando a mim mesmo eu chego, extendo a esfera do meu eu. Certamente, esta esfera pode misturar-se com outras esferas, com suas fronteiras não severas, somente vagamente definidas. Em um senso, alcançando isso, eu também protejo a mim mesmo. Eu ando o dia inteiro em uma bela esfera perfumada que eu defino em sua intensidade, forma e cor. Desta forma, nós poderíamos usar perfumes porque a fragrância se funde com nossa pele, é uma segunda pele para nós, torna-se parte de nós, ou porque nós queremos esconder o que parece não apropriado ou nós queremos chegar e, daí, ocupar espaço e nos proteger.

Uma palavra sobre a missão de encobrir: Ouse explorar o que você tenta encobrir. Nosso próprio cheiro não é tão ruim assim.


Cris: Conte-nos sobre os próximos projetos( ou algo sobre eles que possa antecipar aos seus fãs)

Andy Tauer: Eu tenho vários projetos em andamento: Há o “Une rose chyprée” que está finalizado e eu já o preparo para lançar nos próximos meses como uma partida inicial da linha Tauer Perfumes mémorables. Mémorables é uma linha de fragrâncias que são mais caras para produzir , ou são mais hippie, todas elas em uma concentração de perfume ou de eau de parfum.

Então, eu ainda estou trabalhando em outra fragrância de rosas e ainda é um pouco cedo para conversar sobre estas idéias...

Cris: Incrível! E para finalizar esta maravilhosa entrevista, qual é o aroma de Andy Tauer? Aquele que você não conseguiria viver sem.

Andy Tauer: Hmm... Eu acho que é sempre aquele que estou trabalhando neste exato momento. Algo como um vício durante a criação.


Cris: Muito obrigada, Andy. Você é absolutamente fascinante assim como seus perfumes em minha pele.

Perfume da Rosa Negra deseja a você conquistas bem sucedidas. Em nome de todos os meus leitores internacionais e o público brasileiro, obrigada novamente.

Tauer Perfumes pode ser encontrado na Tauer's Shop. A loja online também oferece a possibilidade de compra de amostras. Para maiores informações , visite Andy Tauer's site.


Créditos das fotos: Copyright Tauer Perfumes. Todos os direitos reservados.
Entrevista por Cristiane Gonçalves aka Cris Rosa Negra.
Entrevista protegida por leis de copyright nos termos da lei. Proibida qualquer reprodução sem permissão escrita do Perfume da Rosa Negra.

Um comentário:

pheromones attract women disse...

In this perfumery world we are looking for the best perfume creations that will last longer. Anyway,thank you so much for sharing this I really enjoyed reading so informative.

cletsey