sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Perfume Review: Fahrenheit EDT(for men/masculino), Dior





Existem raros perfumes masculinos que ultrapassam a barreira de todos os tempos e se tornam ícones, figuras lendárias, desejos futuristas para uma completa perpetuação de seus cheiros. Assim é Fahrenheit de Dior, o clássico anos 80 com estilo de anos 90 que, até hoje, é um dos melhores perfumes para homens lançados no mercado; uma fragrância amadeirada acourada criada pelos perfumistas Jean-Louis Sieuzac ( também criador de YSL Opium for her) e Maurice Roger na época em que a indústria de perfumes , hoje massificada com lançamentos medíocres, ainda sabia fazer perfumes memoráveis.


Naquela época, em 1988, ano de seu lançamento,
Fahrenheit já honrava o homem com um aroma que realmente os homens merecem, bem diferente das águas perfumadas que hoje existem à disposição, fragilizadas em sua aura decadente, óbvia demais. Fahrenheit trazia ao homem um aroma refinado, másculo e espontâneo, imprimia-lhe uma personalidade que , como uma alta escala em Fahrenheit,poderia fazer subir a temperatura de todas as mulheres ao redor, tomar conta do ambiente aquecendo o ar, o transformando em uma arma letal, prestes a entrar em combustão no mínimo olhar ou toque deste homem. Fahrenheit, um perfume que entra em erupção com a pele, a dele e a da mulher para uma explosão de sensações.



Reinaldo Gianecchini para RG Vogue n. 61 , sexy classy



O perfume leva notas de lavanda, tangerina, hawthorn, flor de noz-moscada, cedro, bergamota, camomila, limão como notas de cabeça. Noz-moscada, madressilva, cravo, madeira de sândalo, folhas de violeta, jasmin, lírio do vale e cedro como notas de coração e na base, repousam notas de couro, tonka bean, âmbar, patchulí, almíscar e vetiver. Um aroma bem peculiar e difícil de avaliar porque, desde sua criação, ele nasceu para ser uma contra-mão de tudo que se viu na perfumaria até então. Os acordes florais focariam exatamente a violeta que, por si só, é uma nota extremamente sintética e usada na perfumaria perfumaria de forma a torná-la adocicada junto a outras notas. Em Fahrenheit, a flor é um macho, poderosamente revolucionário, abrindo suas pétalas como notas que misturam o refinamento de um aroma único, a delicadeza de uma base floral levemente sintética a sufocar o nariz adicto por tal descoberta e um desdobramento olfativo rústico com um cheiro de petróleo, um gás mortal que envenena os pensamentos de qualquer mulher que quer sentir os braços rudes por trás de extrema elegância.



Reinaldo Gianecchini para revista Capricho, sexy rústico



No início, bem complexo, evolui o antagonismo entre um homem elegante e um homem rústico e, consequentemente, Fahrenheit se firma como uma perfume versátil e sexy , capaz de desfocar qualquer racionalidade do olfato. A combinação rara de acordes de lavanda, bergamota e limão, notas que consigo sentir, são mais volatéis e não seguem um padrão ultra-fresco. Em cinco minutos, o cheiro passa de fresco a floral com ondas sutis e quentes de um cheiro gasolífero acompanhado por uma sedosidade que relaciono às nozes e ao couro. Este aroma é intrigante porque a violeta também está nele, quase totalmente escondida, aparecendo mais como um componente químico, quente e narcótico que se, aspirado muito de perto, causa mais dependência. A dependência provocada pela curiosidade olfativa. Por outro lado, os acordes gasolíferos não são totalmente de gasolina porque não são agressivos, o corpo floral neutraliza qualquer brutalidade no aroma. Esta fórmula hipnótica com ares florais acourados e gasolíferos é elegante pois é possível imaginá-la na pele de um homem bem-sucedido com seu atrativo carro, por outro lado é possível imaginá-la na pele deste mesmo homem, vestido de jeans, suado, sujo de graxa e trocando o pneu do carro. Na fase mais final, a nota de noz-moscada, picante deixa o perfume bastante provocativo em um dry down que considero ambarino acourado confortável e sedutor.




Reinaldo Gianecchini e Paola Oliveira no filme Entre lençois



Fahrenheit sempre me faz lembrar da bela propaganda do perfume na qual o homem entra no elevador e, enquanto ele se encontra lá, paisagens surreais lhe aparecem como se este lugar fosse também a ponte para suas memórias e seus sentidos .Os andares não têm fim, eles simplesmente podem representar uma infindável escala de tempo e de lugar assim como momentos com perfumes podem representar lembranças eternas à cada pessoa. No caso de Fahrenheit, o desejo despertado pela força do seu aroma clássico e a verossimilhança do cheiro do homem que é capaz de marcar as memórias femininas de forma atemporal e multilocal faz qualquer mulher entrar neste elevador inúmeras vezes, como uma máquina do tempo que lhe permita sentir o perfume dele, afogar-se neste calor aromático, entregar-se às sensuais fantasias e, loucamente, atingir a escala 212º F em um clímax olfativo que se mescla ao seu gozo corporal. O misterioso odor gasolífero do macho mistura-se ao das flores da fêmea e as correntes oleosas deste elevador se balançam como os movimento dos corpos. Carnes em suor borbulhante entregues a este prazer aromático, efervescente pela ebulição das emoções, pelo inesquecível Fahren(heit), sempre uma clássica, sexy e fascinante jornada pelo mundo Dior.



(English version)



There are rare male perfumes which overcome the barriers of all the past times and become icons, legendary figures, futurist wishes for a complete perpetuation of their smells. Like this is Fahrenheit by Dior, 80's classic fragrance which also has a 90's style and that until now is one of the best male fragrances already released in the market; a woody leather fragrance created by the perfumers Jean-Louis Sieuzac ( also creator of YSL Opium for her) and Maurice Roger during the times when the perfume industry, now very massificated with ordinary releases and flankers, still knew how to make memorable perfumes.


In that age, in 1988, its year of release,
Fahrenheit already distinguished men with an aroma which really they deserve, very different from these perfumed acqua that are available now, very fragile in their decadent aura, too much obvious. Fahrenheit already brought to the man a refined , virile and spontaneous aroma , giving to him a personality which, as a Fahrenheit high scale ,would make raise all women's temperatures closer to him, dominating the environment warming the air up, transforming it into a lethal weapon ready to start inflammating, at least, through a glance or a touch of this man. A fragrance which touch skins as a volcanic eruption, his and her skin for a sensations explosion.


The fragrance features notes of lavender, mandarin orange, hawthorn, nutmeg flower, cedar, bergamot, chamomile, lemon as top notes. Nutmeg, honeysuckle, carnation, sandalwood, violet leaf, jasmine, lily of the valley and cedar as heart notes and in the base, are reposed notes of leather, tonka bean, amber, patchouli, musk and vetiver. A very peculiar aroma and very hard to evaluate because, since its creation, it was composed to be placed on the other side of everything ever created in the male perfumery. The floral chords focus on the violet which, by itself, is an extremely synthetical note and used in the female perfumery in a very sweet-scented manner together to others notes. In
Fahrenheit, the flower is a man, powerfully revolutionary,opens its petals such as notes which blend the refinement in one unique aroma, the delicateness of one floral base slightly synthetic that seems to sufocate the slave nose for an olfactive discovery and there is a rustic trail with a look-like petrol scent, a mortal gas which poisones the thoughts of any woman who wants to feel the touch of rude arms behind an extreme elegance.


Its opening, very complex, progresses as an antagonism between the elegant and the rustic man and, consequently,
Fahrenheit becomes a versatile and sexy perfume, able to unfocus any olfaction rationality. The rare combination of lavender, bergamot and lemon chords, notes which I can smell easily are more volatile and does not follow an ultra fresh pattern. After five minutes, the smell goes from fresh to floral with subtile and warm waves of a gasolin scent with a softness which I connect to nuts and leather. This aroma is intriguing because the violet also is in it, almost totally hidden, seeming a chemical component, hot and narcotic that if, exhaling closer can provoke more addiction. The addiction caused by the olfactive curiosity.On the other hand, the gasolin chords are not completely a gasolin scent because they are not aggressive, the floral body neutralizes any brutality in the aroma. This hipnotic formula with leathery floral and gasolin chords is elegant because it is possible to imagine it on the skin of a well-successful man in his attractive car, on the other hand it is possible to imagine it on his skin when he dresses a jeans, is wet with sweat and dirty with grease, changing his car tyre. In the final phase, the spicy note of nutmeg let the fragrance provocative on the dry down which I consider an ambery leathery scent , confortable and seductive.


Fahrenheit always remind me of its beautiful advertisement tv spot in which a man enters in the elevator and, while he is there, surreal images appear ahead his eyes as if this place is also a bridge for his memories and senses. The floors are endless, they simply can represent an endless scale of time and place as well as moments with perfumes can represent eternal memories to each person. In the case of Fahrenheit, the desire arouse by the strength of classic aroma and the verissimilitude of the man'scent which is able to be perpetual in female memories in a timeless and multilocal manner makes any woman enter in this elevator countless times, as a time machine which allows her to smell his scent, bury her nose in this aromatic warmth, surrender herself to sensual fantasies and , crazyly, reaching the scale 212º F in one olfactory climax which is mixed to the bodily pleasure. The mysterious gasolin odour of the man is blended to the woman's flowers smell and the oily metal chains of this elevator balance as the movements of these bodies. Fleshes covered by bubbly sweats are surrendered by this aromatic pleasure, effervescent by the emotions boiling, by the unforgettable Fahren(heit), always a classic, sexy and fascinating journey for the Dior world.

Nenhum comentário: