sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Perfume Review: White Patchouli, Tom Ford

by Italo Wolff


Tom Ford White Patchouli
nas páginas black do Rosa Negra
Tom Ford White Patchouli
on black pages of Rosa Negra



Depois de uma saga in Black , Tom Ford lança no mercado o avesso deste período obscuro de sua perfumaria, trazendo para seus consumidores White Patchouli, um convite à beleza e calmaria da cor branca tão cheia de significados para inúmeras culturas ao redor do planeta.


Quase como uma negação ao que sempre vimos na marca, o branco é a imagem em negativo de Black Orchid, o potente e deliciosamente trufado primeiro perfume de própria marca, que emite uma aura invasiva e adocicada com suaves mesclas de uma ilusória orquídea negra foi transformado em algo leve, macio, angelical e extremamente neutro que segue a atual tendência de chypres florais modernizados.





A musa Neo-Soul Erykah Badu como face da campanha publicitária
The muse Neo-Soul Erykah Badu as face of the AD campaign


As folhas de patchouli possuem um aroma terroso e medicinal, dando uma leve seriedade às fragrâncias mais expansivas. Neste perfume de Tom Ford, o patchouli é a nota máxima e não a base, como é comum. O patchouli é o próprio acorde base a que as demais notas se renderão.






O que você entenderia por cheiro branco? Nunca tinha pensado na possibilidade de cheiros brancos como fragrâncias sofisticadas. Sempre imaginava algo que faltava nesses perfumes, como um elo que foi quebrado e que não deixava mais o resto das correntes se unirem. Com uma saída simples, composta quase exclusivamente de limão e coriandro, quando White Patchouli toca a pele abre uma refrescância levemente seca pelo coriandro, de modo a deixar o tom cítrico dos limões bem próximo à pele, quase transparente o que ao meu olfato foi muito confortável.


Posteriormente, a imagem começa a tomar cor, saindo do
transparente e confortável ácido e seco da mistura de limões e coriandro para o branco imaculado e angelical de um canteiro de jasmim exposto ao sol da primavera. Um bouquet de flores ainda mais brancas começa a ser percebido, com suas pétalas macias e leves, a discreta doçura da peônia também é facilmente percebida. Há ainda no meio desse jardim intensamente branco um tom terroso de patchouli, a nota foi muito bem trabalhada e, por esse motivo, não transformou o perfume em algo áspero, ao contrário, contribui para a beleza dessa fragrância, um aroma despretensioso e claro, basicamente verde e terroso no meio de muitas flores brancas, um equilíbrio perfeito entre o acorde floral e o medicinal tornando essa a mais sofisticada das fases.





White Patchouli: a celebração do branco

White Patchouli: the celebration of the white


No fundo de toda essa brancura semente de ambreta, uma espécie de planta evoca o cheiro de musk, porém menos profundo e animálico, seria por assim dizer um "musk estéril". White Patchouli é realmente um perfume branco, moderno e extremamente minimalista, no qual apenas o que importa permanece sem que haja a interferência de elementos desnecessários ao todo. Leve, sofisticado e discreto, mais uma obra de arte assinada por Tom Ford.


Versão Avaliada: Eau de Parfum
Poder de fixação: 12 hours

Sillage: Baixo

Drydown: Chypre Floral

Notes: Limão, bergamota, peônia, coriandro, sementes de ambreta, patchuli, rosa, jasmin, flores brancas.

Perfumista: Rodrigo Flores



Italo Wolff é escritor de perfumes de Alagoas (Brasil) e colaborador exclusivo para o Perfume da Rosa Negra.


(English Version)


After the in Black saga, Tom Ford releases in the market the opposite of this dark moment, bringing to consumers White Patchouli, an invitation to the beauty and serenity of the white color so full of meanings for diverse cultures all over the planet.

Almost as a negation of everything we have seen in the brand , the white is the contrary image found in Black Orchid, the potent and delicious truffle first fragrance of Tom Ford, which emanates a sweet invasive aura with soft accords of an ilusory black orchid, now is transformed in something clean, soft, angelical and extremely neutral that follows the recent trend of modern floral chypres.


Patchouli leaves own an intense earthy and medicinal scent providing a subtle seriousness for enthusiastic fragrances. In this Tom Ford perfume, patchouli is the utmost note and not a basenote as is more commom. Patchouli is the own base accord to which all other notes are surrendered.


What would you say about a white scent? I have never thought about this possibility of white scents as sophisticated ones. I've always imagined that something lacked in these fragrances, like an connexion which was broken and not let the rest of scented waves be joined. Starting a simple opening composed by almost exclusively lemon and coriander, White Patchouli touches uniquely the skin and opens a slightly dry refresh by coriander in such a manner as let the citrusy tone of lemons closer to the skin, nearly transparent, what was very comfortable to my olfaction.


Later the image starts to color, leaving the transparency and the acid and dry mixture of lemons and coriander to emanate an immaculated and angelical of a
jasmine-bed exposed under the spring sun. A bouquet of whiter flowers begins to be perceived with its tender and light petals,the discrete sweetness of the peony also is pleasantly smelt. There is also intensely in this white garden a earthy patchouli tone, the note was very well worked on the perfume and, because of that, doesn't make the fragrance not smooth, on the contrary, it contributes to White Patchouli's beauty, a scent that is clean and not snobbish, basically green and earthy in the middle of many white flowers, a perfect balance between the floral accord and the medicinal one becoming this phase the best of all.


In the base of all this whiteness there are ambrette seeds, a type of plant that evokes the musk scent, but less deep and animalic, that is something as "a sterile musk". White Patchouli is indeed a white, modern and extremely minimalist fragrance in which only what matters is kept without any interference of unnecessary elements. Light, sophisticated and elusive, one more masterpiece by Tom Ford signature.


Evaluated Version: Eau de Parfum
Longlasting power: 12 hours

Sillage: Low

Drydown: Chypre Floral

Notes: Lemon, bergamota, peony, coriander, ambrette seeds, patchouli, rose, jasmine, white flowers
Perfumer: Rodrigo Flores



Italo Wolff is fragrance writer from Alagoas, Brazil and is collaborator for Perfume da Rosa Negra.



Perfume Review by Copyright Italo Wolff for Perfume da Rosa Negra.
Photo Credits: Tom Ford Beauty

Nenhum comentário: