sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Perfume Review: The Beat for Men, Burberry



Burberry The Beat for Men é a nova fragrância masculina de uma das marcas inglesas mais importantes na moda e na perfumaria mundial. Criada pelos perfumistas Olivier Polge e Domitille Berthier em 2008, a fragrância é composta por notas de vetiver de Bourbon, madeira de couro, cidra, pimenta negra e folhas de violeta é desenvolvida na pele de forma a ser básica e funcional assim como a praticidade da vida moderna. A partir de uma abertura de notas amadeiradas mais expressivas, ela inverte um pouco mais a pirâmide olfativa para que depois o perfume se torne mais leve, versátil e de fácil receptividade por parte do público mais jovem.


O conceito do perfume é modernista baseado no homem que vive o presente, uma espécie de fragrância do Carpe Diem contemporâneo, logo o estilo e a capacidade de inovar-se deste homem é muito centrada no eu e na atualidade dos comportamentos do mundo de agora. Para Christopher Bailey, diretor criativo de Burberry, Beat for men expressa a atitude de um homem que não força o seu look, muito menos o seu estilo. O homem The Beat seguirá o dinamismo da vida urbana: enérgica, criativa, livre pensadora e, principalmente, individualista.







Até aqui, nenhuma surpresa em termos de tendências em perfumes porque uma boa parte dos lançamentos vendem um imagem de auto-suficiência para o homem moderno: ser sexy e fashion, ter estilo, ser bem inovador e bem sucedido são valores intrísecos ao homem, além disso, o homem é naturalmente competitivo estando bem alinhado ao dinamismo moderno. No caso de The Beat for Men, o considero mais maduro que Paco Rabanne One Million (ambos mais voltados para um público jovem e cosmopolita) porque no seu mix olfativo, a seleção de notas tem uma "seriedade olfativa": menos doce, menos sinteticamente especiado e menos fresco, portanto ainda que Burberry tenha selecionado vários pubs
muito esguios, joviais, estilosos e antenados para atingir principalmente este tipo de audiência, o perfume ainda tem um toque mais formal, tipicamente britânico que não o distancia do estilo das outras fragrâncias da marca.


Na prática, o primeiro foco perfumado de The Beat for men é bem amadeirado. Este tom amadeirado é mais profundo que o acourado por conta da força escura do vetiver, no entanto as notas vetiverianas de saída não dominam a fragrância, somente causam um choque inicial ao nariz, uma expressão mais masculina. Mais tarde, a vibração da fragrância até o drydown se torna mais delicadamente especiada com uma base de folhas verdes apimentadas, o momento mais belo da fragrância no qual há uma mansidão no cheiro como repousar os sentidos em um perfume mais verde fresco e jovial que, ainda assim possui os sobretons quentes da pimenta negra que respaldam o calor da personalidade masculina e sua maturidade como homem.





Após sentir as "batidas" olfativas da fragrância considero que The Beat segue o mesmo estilo do seu homônimo feminino, com a leveza e o frescor da modernidade, onde o mais é menos, ou seja, sem nuances tão adocicadas, amadeiradas e balsâmicas ao extremo, assim como sem aquela força estereotipada da sensualidade de notas de flores exóticas e madeiras nobres. The beat for men mantém o seu charme através de uma sofisticação bem encorpada por madeiras que ficam delicadas no drydown e traz à memória olfativa as suaves fragrâncias amadeiradas florais igualmente refinadas.


Ao vivenciar a evolução da fragrância e imaginá-la em uma fotografia masculina, principalmente considerando os jovens modelos fashionistas da publicidade, The Beat for men abre a madeira de couro e o vetiver imersos em uma vibrante força sensual e elegante exatamente para mostrar que, por trás de todo homem jovem, há um homem maduro, em evolução em suas próprias atitudes e idéias.


Versão avaliada: Eau de Toilette
Poder de fixação: 7 horas
Sillage: baixo/médio
Drydown: amadeirado aromático floral



Para ler a review the BURBERRY The beat for women,
clique na imagem abaixo





(English version)


Burberry The Beat for Men is the new male fragrance of one of the most important British brands in the fashion and perfumery world. Created by perfumers Olivier Polge and Domitille Berthierin 2008, the perfume is composed by notes of Bourbon vetiver, leatherwood, cedrat, black pepper and violet leaves and is developed on the skin in a basic and functional way such the practical spirit of the urban life. From a start of more expressive woodsy notes, the fragrance inverts somewhat the olfactive pyramid later in order to become lighter, versatile and easily wearable by the young audience.


The concept of the perfume is modernist based on the man who lives the present, a type of contemporary Carpe Diem fragrance, hence his style and the ability of innovating himself is centered in his self and in the present behaviours that people own. According to Christopher Bailey, Burberry creative director, Beat for men expresses the attitude of a man who does not force neither his look nor his style. The Beat' man follows the dynamism of the urban life: energic, creative, free-thinker and, mainly, individualist.


Up to now, there is no surprise how trendies are run in the fragrance because one considerable part of the releases sell an image of self-sufficiency for the modernman: be sexy and fashion, have style, be innovative and successful are intrisic values to the man, moreover the main is naturally competitive being very aligned to the modern and dynamic present life. In the case of The Beat for Men, I consider it more mature in comparison to Paco Rabanne One Million (both are focused on a cosmopolita and young consumer public) because in its olfactive mixture, the selection of the notes has a type of "olfactory seriousness": less sweet, less synthetically spicy and less fresh, therefore even though Burberry had selected some pubs who are very thin, young, stylish and well-informed to target this kind of audience, the perfume has some formal touch, typically british that doesn't let The Beat for men far from the others Burberry's fragrances.


In practice, the first fragrance focus of the Beat for men is very woody. This woody overtone is deeper than the leathery because of the dark strength coming from vetiver, however the vetiverian notes in the start don't command the fragrance, only cause an initial shock to the nose, expressing more masculinity. Later, the fragrance vibration untill the drydown becomes delicately spicier with a base of green peppery leaves, precisely the most beautiful moment of the fragrance in which there is serenity like to repose the senses smelling a greener and younger fragrance that nevertheless has warm overtones of black pepper that sustain the warmth of the male personality and his maturity as a man.


After feeling the scented "beats" of the fragrance I consider The Beat follows the same style of his female homonym, with the lightness and the freshness of the modernity where the best is the less, that is, without using overly sweet, woody and balsamic nuances , very aligned to some last releases in male fragrances, as well as without that stereotype of sensuality based on exotic flowers and noble woods. The Beat for men keeps its charm through a sophistication given by delicate woods and brings to the memory those soft woody floral fragrances, equally refined.

Having this scented experience and imagining it taking as base the male picture, mainly from those young fashionable young boys in the Beat's advertisement, the fragrance opens the leatherwodo and the vetiver immersed in a vibrant sensual and elegant strength precisely to show that, behind any young man, there is a mature man, in development in his own attitudes and ideas.


Evaluated version: Eau de Toilette
Longlasting power: 7 hours
Sillage: low/average
Drydown: woody aromatic floral




To read the review of the BURBERRY The beat for women,
click on the image below






Perfume Review by Copyright Cristiane Gonçalves aka Cris Rosa Negra for Perfume da Rosa Negra.
Photo credits: Burberry The Beat for Men

Nenhum comentário: