quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Perfume Review: The Beat, Burberry


Burberry, a marca da moda inglesa é cool, não há dúvidas quanto a isso. O jeito cool fashion de ser, estiloso, elegante e urbano. O tradicional casaco trench coat e algumas gotas de uma fragrância da Burberry e então você é transportada(o) para Londres, a cidade multicultural, meio formal, meio informal, mas sempre mantendo sua essência britânica através de seus bares pubs, sua diversidade, seu estilo único de ser.
Sou suspeita para comentar sobre Burberry, embora há alguns perfumes que eu não usaria ou compraria um frasco. A marca tem algo que eu aprecio muito em uma marca fashion e de produtos de luxo: Burberry tem identidade. Uma identidade que é totalmente leal aos consumidores, não importa se as fragrâncias possam parecer sem aroma para algumas pessoas. Os perfumes Burberry mantêm certa linearidade no desenvolvimento, algo casual chique, bastante alinhado aos dias de trabalho, versátil para ir a um happy hour nas grandes metrópoles sem deixar a natural elegância de lado e evitando que os narizes à volta sejam sufocados como o são pelos cheiros das cidades.

A sutileza das fragrâncias Burberry é sua qualidade top para aqueles que procuram um perfume que tem o estilo da marca e seja bem feito. Esta proposta coerente entre o desiner da moda, o designer da fragrância , o cliente da marca e seu mundo é o grande ponto a favor de qualquer casa fashion que ofereça perfumes em seus portfólios de produtos. A grande coisa , neste caso, é manter um marketing verdadeiro, fidedigno com cada cliente. Burberry assim o faz.

Eu sou, como boa cosmpolita, uma mulher Burberry and sei exatamente quando a fragrância é adequada para minha escolha. Brit Red é mais doce, para uma abordagem mais sexy. Brit for woman é um aroma comfortável, ótimo para uma noite sem intenções. Burberry for woman é versátil para um dia de trabalho bem ocupado. Não importa como serão os papéis das fragrâncias para o meu dia, Burberry é uma escolha natural para uma mulher urbana natural.




The beat é a nova fragrância da Burberry para mulheres; criada pelos grandes perfumistas do time IFF Dominique Ropion, Olivier Polge e Beatrice Piquet, que foram dirigidos pelo conceito do Business man da Burberry, o diretor criativo Christopher Bailey e da marca para o lançamento The Beat: Exalta uma mulher jovem, enérgica, independente, que transita entre a tradição e a independência, o estabelecido e a rebelião e se diverte com coisas como a dança e a música. The Beat tem notas de bergamota, mandarina, cardamono, Chá de Ceilão, Bluebell, pimenta rosa, íris, almíscar branco, vétiver e madeira de cedro.

O perfume abre notas de saída doces e radiantes; algo "ensolarado" mas, estranhamento, não relacionado a Verão ou a fragrâncias cítricas, por exemplo. Aqui está relacionado a uma abertura que evoca a alegria e a energia em fragrâncias para a mulher jovem, adocicadas por notas frescas de bergamota, chá e pimenta rosa, que são mais evidentes e que são aquecidas pela sutil, porém picante nota de cardamono. Não estou familiarizada com a nota de bluebell, no entanto penso que ela faz a diferença na fragrância, principalmente quando analiso todo o mix, exatamente porque em The Beat há uma nota que fascina, que me faz enterrar o nariz em alguns pontos de aplicação. Embora o poder de fixação da fragrância é aquém do esperado, aproximadamente 6 horas, sendo que o encantador doce inicial se esvai, pessoalmente, a fragrância me atrai por conta de algumas notas como bergamota e pimenta rosa, resgatando em mim a garota doce que adora florais doces e/ou mais frutados em algumas estações mais quentes e que faz com que eu compre fragrâncias do estilo de The Beat.


Cheirando o perfume e analisando o novo pensamento Burberry para a marca, penso que eles tiveram um bom começo, salvo algumas ressalvas que compartilho a seguir. A fragrância tem um mix jovem, muito alegre em comparação a outras fragrâncias tradicionais de Burberry, doce, algo que considero "muito adorável" para a marca, trazendo algumas sensações olfativas de uma mulher cheia de vida, não tão madura mas que caminha para um caminho independente. No entanto a fragrância é muito "boneca" para o conceito de rebelião. Há a falta de uma nota mais densa que justifique uma fragrância mais subversiva, que estabeleça esta nova atitude que é exatamente a atitude de Burberry para o futuro. Embora haja uma personalidade jovem em The Beat, em termos de personalidade forte em uma fragrância, prefiro Brit Red.

O conceito de tornar The Beat um novo acessório de moda supõe que a escolha fashion de alguém é um "must have". Burberry deseja tornar The Beat um "must-have", mas qualquer escolha de moda que deseja criar uma revolução requer um produto também subversivo, capaz de alcançar esta revolução. The Beat é uma bonita fragrância mas o toque de subversão, algo mais dark contra o mundo radiante e perfumado das fragrâncias Burberry deveria ter sido o passo avançado para o objetivo da marca e isso não ocorreu , em sua completude, na prática.

O que resta para as mulheres Burberry é somente seguir o desafio da marca e usar The Beat, participando da mudança através de um novo comportamento que é o suposto pela estratégias Burberry(claro que cada mulher que concorda com esta atitude e lhe é natural, o fará; assim como avaliará se a fragrância é capaz de inspirar novos códigos fashion). Aproveitar a vida, encarar a tradição mas respeitar os valores, trazer consigo uma independência própria e uma atitude corajosa mas manter a base familiar, ser madura nas ações mas também jovem em seu estado de espírito e, sempre, sentir as batidas da música e da dança.


Para ouvir a canção cantada por Fratellis, também inspiradora para a criação do perfume, go to The Beat Burberry hot site

ou divirta-se no You tube vídeo, na íntegra comentado por Christopher Bailey









(English version)

Burberry,
the English fashion brand is cool, there is no doubts. A cool fashion way of being , stylish, elegant and urban. The traditional trench coat and some Burberry fragrance sprays and then you are transported to London, multicultural city, half-formal, half-informal but always keeping some British essence through their pubs, their diversity, their uniqueness.

I am very suspected to tell about Burberry, even there are some perfumes that I could not wear or buy a bottle. The brand has something that I appreciate in one fashion and luxury goods brand: Burberry has identity. A identity that is very loyal to its consumers no matter if its fragrances are not tasteful for some of consumers. Their fragrances keep some linear development, something casual chic, wearable for working days, versatile to go to a happy hour in big cosmopolitas cities, keeping some natural refinement and avoiding sufocating the noses around as some smell cities normally suffocate us.

The sutile feature of Burberry fragrances is a top quality for those who looking for a fragrance with some brand style and nicely done. This coherent proposal between the fashion designing, the fragrance designing and the customer and her/his world is a great point for any fashion house that offers perfumes in its range of products options. The greatest thing, in this case, is not to keep the track of the real marketing and its fidelity to each customer. Burberry does it.


I am, as a good cosmpolita, a Burberry woman and know exactly where the fragrance is suitable for my intention. Brit Red is sweeter, for a better sexy approach. Brit for woman is a confort scent for a non-intentional night, Burberry for woman is versatile, for a busy work day. No matter how is their roles in my day, Burberry is a natural choice for a natural urban woman.


The beat is the new fragrance of Burberry for woman created by a big noses IFF team Dominique Ropion, Olivier Polge and Beatrice Piquet, driven by the concept of the Burberry business MAN, the creative Director Christopher Bailey and the brand for the Beat woman: A woman who is young, energic, independent and, above all, who transits between the tradition and the independency, the establisment and the rebellion and enjoys stuff like dancing and music. The Beat has notes of bergamot, mandarin, cardamom, Ceylon Tea, bluebell, pink pepper, iris, white musk, vetiver and cedarwood.


The perfume features sweet and bright heady notes; something sunny , that strangely it not related to Summer or citrus fragrances, for example. It is about an opening related to some enjoyment and energy in fragrances for young woman, candied by fresh notes of bergamot, tea and pink pepper and heating by a subtle cardamon spiceness. I am not familiazed to bluebell note, however I think that it makes the difference on the fragrance because smelling the mix of notes, there is something that is a key point of fascinantion in The beat fragrance, something that makes me bury my nose on some body points of perfume applications. Even though the lasting power is not what I expected, ca 6 hours and the captivating initial sweetness is left, personally, the fragrance attractes me for some notes such as bergamot and pink pepper, rescuing the floral and/or fruity sweet lady that is in me in some warm seasons and that makes me buy some light fragrances as The Beat.


Sniffing the fragrance and analysing Burberry new mindset for the brand, I think they had a good start, except for some considerations which I tell you following. The fragrance is a young mix, very joy in comparison to others traditional Burberry fragrances, sweet, something like "too cute" for the brand, bringing me smell sensations as a woman who is completely full of life, not so mature but running for a new independency way. However the fragrance is very " doll" for the concept of Rebellion. There is a lack of some heavy note, denser, something subversive in this fragrance mix, that set some attitude ahead the new brand attitude. Although there is a young personality in The Beat, within limits of a strong fragrance personality, I prefer Brit Red.

The concept of becoming The Beat a new fashion accessory supposes that someone fashion choice is a must have. Burberry wishes to become The Beat a must have, but any fashion choice which wishes to create a revolution requires a rebellious product able to achieve it . The Beat is a nice fragrance however a touch of subversion, darkness against the bright fragrant world of Burberry would be an advanced step for the brand target and it has not happened, entirely in practice.


What remains for Burberry women is only to follow the challenge of Burberry and wearing The Beat participating in the behaviour change that is supposed to represent the brand strategies(of course if each woman agree this attitude is natural for each of them and the fragrance is able to inspire new fashion codes). Enjoy the life, face the tradition but respecting the values, bring some self-independency and brave attitude but keeping the base of family, be mature in actions but always young in own sensations and, always,feeling the beats of music and dance.



To hear the song sung by Fratellis, also inspiration for perfume creation, go to The Beat Burberry hot site


or enjoy the You tube vídeo, totally commented by Christopher Bailey

Photos: Worlddutyfree.com and beautyme.com
Video : a courtey of You tube.

Um comentário:

Italo Wolff disse...

Discutindo ainda mais o conceito da marca: Burberry marca cosmopolita, impreme em sua moda e seus perfumes o jeito de ser inglês, algo que fica entre o chic e o casual, que se torna digamos um meio termo,londres realmente deve ter o aroma que a marca nós define, algo morno e sobreo, que fica bem desde um dia no escritorio até mesmo a uma noite nas baladas freneticas a antiga cidade e mesmo com toda essa versatilidade a calmaria do chá da tarde com biscoitos ainda pode ser sentida nos seus aromas!
É comum que muitos tachem esses perfumes tão bem elaborados e lineares de comuns e sem graça, mas concordo com Cistiane no tocante a esse modo e comceito Burberry, seja como for me sinto completamente ingles ao usar o London masculino ou o Brit Gold femino!
Nem sempre tudo que é bom é obvio e assim é o conceito Burberry, o de nunca ser apenas obvio, mas sim Cult!