quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Perfume Review: Vanille Sauvage de Madagascar, La Maison de la Vanille



Com tantos perfumes abaunilhados no mercado, fica difícil ser criativo com um perfume que não se torne mais um pudim de baunilha leitoso dentro de um frasco de fragrância; no entanto La Maison de la Vanille consegue, através de alguns produtos de sua linha, diversificar a baunilha com surpreendentes nuances aromáticas de diferentes notas que circulam ao redor desta grande protagonista. Esta característica de ter uma baunilha, recorrente em todos os La Maison de la Vanille mas que ainda assim deixa outras notas atuarem é o mesmo que ocorre com aquela base que é repetida na maioria dos Thierry Mugler.



Depois de provar algumas fragrâncias da casa, tenho constatado uma característica relevante em seus perfumes. Normalmente, a baunilha tem um aroma bem peculiar que, quem é fã dos perfumes da casa,irá constatar imediatamente. Esta baunilha é intensa, sedosa e consideravelmente parece que foi misturada com farelo de frutas secas como amêndoa e avelã, mais especificamente, a algo que remeta a idéia de grãos ou sementes macias, que tem um lado negro como o da tonka bean. No entanto, continua sendo uma baunilha forte, de personalidade a ponto de cubrir a versatilidade aromática de uma doçura que não seja pueril, mas que sirva para pessoas maduras e que amam perfumes abaunilhados.


Vanille Sauvage de Madagascar, pertecente à família amadeirado oriental, abre notas de bergamota, coriandro, tomilho,lavanda, gerânio, mandarina, baunilha, sândalo, incenso e vétiver. Como o próprio nome diz, a inspiração é focar uma das facetas da baunilha selvagem que cresce nas regiões exóticas de Madagascar. Esta baunilha é bem mais fresca em comparação à escura de Vanille Noire du Mexique e,particulamente, acho a evolução mais rica em sinuosidades.






Sauvage abre uma saída extremamente interessante que cria um torpor olfativo totalmente "green". Um aroma triunfal de lavanda, refrescante e inusitada que chega a transmitir a natureza selvagem para a memória. Você fica impressionado quando esta lavanda mistura-se à baunilha, que sobe à superfície da pele tortuosamente como troncos de árvores moldados pela natureza e, de repente, surge a beleza dos gerânios que me fazem lembrar dos gerânios de Covet de Sarah Jessica Parker. Esta primeira fase é a melhor fase de Vanille Sauvage de Madagascar. Esta fase é como imaginar-me mirando plantações de baunilha como desejo iminente de tocar suas sementes. Eu ainda não as enxergo direito, nem sinto totalmente o seu poder olfativo, mas um encanto inicial por esta paisagem magnífica faz-me guiar para este toque. A lavanda e o gerânio insinua um vento fresco das folhas que quando misturados a esta baunilha amendoada cria ondas aromáticas que agradam através dos opostos: o frescor e o calor de uma paisagem tropical.










A segunda fase é comfortável ; um odor mais forte da baunilha autêntica de La Maison de la Vanille, a ponto de pensar que estou deitada em um lençol imaginário e muito sedoso que se extende em uma paisagem vegetal das ilhas de Madagascar. O frescor ainda é evidente em comparação a outras baunilhas, no entanto, as notas iniciais e mais herbais abrem espaço às madeiras como o vetiver e sândalo os quais pintam a imagem de uma natureza que tem um calor a proporcionar, como abraça-la por inteiro. Embora existam notas de especiarias como coriandro e tomilho assim como incenso, as especiarias entram no mix para temperar aromaticamente esta baunilha como um aroma mais "oriental", encorpando o lado mais dark, mais africano desta linda ilha de Madacasgar. O incenso, embora não tão perceptível com relação a outras notas, também contribui com este exotismo das terras da África, dando ao perfume um componente de aura misteriosa.



Vanille Sauvage de Madagascar tem um tipo de "benção" especial como uma poção abaunilhada para perfumar o corpo, dócil e selvagem. Extrai a beleza selvagem e verde das terras africanas longíquas em um mix de notas que mescla o frescor da natureza vegetal com o calor da natureza humana, que juntos, tornam-se um só. Aqui e aí, uma só baunilha em ti.






(English version)



Analysing so many vanillic fragrances in the market, it is very difficult to find a creative perfume in this category which does not be a milky vanilla pudding in a fragrance bottle ; however La Maison de la Vanille can, through some products of its range , diversify the vanilla note with some surprising aromatic accords with others different notes that are harmonized with this great fragrant protagonist. This characteristic of having a recurrent vanilla in all the La Maison de la Vanille, but even so having others notes is as what happens with the repetitive base in the most of Thierry Mugler fragrances.



After sampling some fragrances of this perfume house, I have realized one important feature on their perfumes. Normally, the vanilla has a peculiar scent which, for who is fan of their fragrances, will automatically perceive that this scent belongs to one La Maison de la Vanille. This vanilla is intense, soft and has also a notable aroma which seems a bran of dry fruits as crisp almond and hazelnuts, more especifically, something that remind us of soft grains or seeds which have a dark side as the tonka bean smell. Nevertheless , the vanilla continues strong, with personality that covers the aromatic versatility of a sweetness that is not puerile, but that wears well mature people that love vanillic perfumes.



Vanille Sauvage de Madagascar belongs to the oriental woody family and opens notes of bergamot, coriander, thyme, lavender, geranium, mandarin, vanilla , sandalwood, incense and vetiver. As the fragrance name confirms, its inspiration is focused on one of the wild vanilla facets which grows in the exotic regions of Madagascar. This vanilla is very fresh in comparison to the darkness of Vanille Noire du Mexique and , in a particular way, I think that its development is richer in accords and sinuosities.




Sauvage has a extremely interesting opening that creates a type of olfactory torpor totally "green". A triumphal aroma of a refreshing and strange aroma which transmites the wild nature to the memory. You are impressed when this lavender is mixed up to the vanilla which rises to the skin surface , in a tortuous manner as tree trunks which are moulded by the nature and, suddenly, the beauty of the geranium appears and remind me of the geranium of Covet of Sarah Jessica Parker fragrance. This first phase is the best phase of Vanille Sauvage de Madagascar.This phase is like to imagine me looking at vanilla plantations as the imminent desire of touch their seeds. I can't see them right , neither I feel their complete olfactory power, but the initial enchantment for this magnific landscape makes me be guided for this touch. The lavender and the geranium hint the fresh wind of the leaves which , when mixed to this almondy vanilla, create aromatic waves that please both opposites, the freshness and the warmth of a tropical landscape.



The second phase is confortable, the smell of vanilla is stronger and the authentic one of the La Maison de la Vanille, ready to make me imagine that I lie down in an imaginary and soft sheet which is extended on a vegetal landscape of Madagascar islands. The freshness still is evident in comparison to others vanillas, however, the initial notes and more herbalistic opens space to the woodies as vetiver and sandalwood which picture the image of one nature that also has warmth to be given, as hugging the nature. Even though there are notes of spicies as coriander and thyme as well as incense, the spicies are in the mix to temper aromatically this vanilla making it a more "oriental" aroma,involving it in a darker way, more African. The incense , although is not very perceptible as others notes, also contributes to the exoticism of the Africa lands, giving to the perfume a component of misterious aura.



Vanille Sauvage de Madagascar has a type of special "blessing" as a vanillic potion to perfume the body, sweet and wild. It extracts the wild and green beauty of distant exotic lands which mix the freshness of the herbal nature and the warmth of human nature, that together, become just one . Here and there, one unique vanilla on you.




La maison de la vanille
Agriculture information
Amadeus Vanille Beans


Nenhum comentário: