quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Hypnotic Poison, Dior




Hypnotic Poison, hipnótico, instigante e lascivo; mas não qualquer lascividade como perfumes mais sexuais. Hypnotic Poison se divide bem entre o conforto da fragrância e o apelo sensual da sua composição, destacada pelas notas de amendôas, baunilha e musk . É uma baunilha libidinosa que alcançará o clímax após umas três horas de evolução e, depois, provocará aquela sensação de ser enrolada entre os lençois, saciada por um aroma doce, quente, levemente almiscarado após um orgasmo avanilado. Muito tempo para um gozo abaunilhado? Absolutamente não, é o que toda mulher deseja. Curtir o momento e ser conduzida ao prazer olfativo por um longo tempo; uma experiência bem mais prazerosa do que curtir a famosa 'rapidinha' de tantos perfumes abaunilhados e sem criatividade.
As preliminares do perfume são bem provocativas e tornam Hypnotic Poison bem mais sexy no decorrer de sua evolução. É um tipo de envenenamento, narcótico como uma droga, por isso muitas pessoas chegam a sentir um cheiro medicinal no começo. Felizmente, não é o que sinto em minha pele. Melhor do que isso é sentir o aroma de uma taça de licor para esquentar a relação.
As notas de saída apresentam um caratér mais licoroso, como um amaretto. O aroma amendoado e amargo na pele é evidente, muito mais do que a vanilla. Em alguns momentos, o floral pode ser percebido através da nota de jasmin sambac, embora isso não seja tão consolidado na evolução. Que bom ! Imaginar um floral em Hypnotic Poison é como romantizar demais os sentidos lúbricos.
Sentidos, uma boa palavra para relacionar com Hypnotic Poison; além do olfato e paladar já mencionados, a visão do perfume se relaciona à imagem de uma mulher jovial, mas com uma intenção provocativa madura. Seus desejos sensuais são realizados e ela sabe como conseguir isso. Hypnotic Poison é para mulheres conscientes da sua sedução, aquelas cujos desejos encobertos podem ser revelados prazerosamente.
Logo, nunca penso que a baunilha do perfume e demais notas que co-habitam com ela formem um mix adolescente, como uma poção perfumada para meninas sem experiência. Pelo contrário, penso em Hypnotic Poison como um perfume para uma mulher com alma muito jovem, que busca muito mais e precocemente a liberdade e realização de seus desejos e sabe hipnotizar, sendo dissimulada ou ingênua. Por ter esta visão do perfume, a imagem com a qual relaciono Hypnotic Poison é, desde o frasco até o resultado da experiência olfativa, a imagem da menina mulher do livro Presença de Anita, escrito em Mario Donato e publicado no final da década de 40. As provocações maduras de Anita, sendo ela jovem, a tornam muito adulta, um veneno em forma de uma mulher magnética, quase diabólica. Provocações que só poderiam ser acompanhadas por Hypnotic Poison.



Fotos: Frasco Hypnotic . Fonte : Sacks & Americanas.com
DVD Presença de Anita . Fonte: Globo Marcas

2 comentários:

Rodrigo Carvalho disse...

hummm... seu blog exala um ótimo cheirinho... parabéns!

Rosa Negra disse...

Oi
Obrigada pela visita... Cheirinho bom é o que não falta aqui. Espero que seja parte da ala masculina cheirosíssima rsrsr. As rosas como eu agradecem.