sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Vanille Exquise, Annick Goutal


Para quem já experimentou Vanille Exquise, o abaunilhado de Annick Goutal, mais uma da extensa lista de Goutal criados pela perfumista Isabelle Doyen pode ter tido, em algum momento da vida, a sensação de que é a baunilha clássica para uma princesa ou jovem rainha de séculos passados. Annick Goutal tem cara de classicismo, algo de toilette monárquico e todas as suas produções têm um requinte delicado.




Diferente de baunilhas mais acentuadas e ordinárias, Vanille Exquise tem o glamour de mergulhar a vanilla em outras notas que a tornam mais sofisticada, mesclando o romantismo da flor de angélica, a cremosidade das amêndoas, o bucolismo da nota leitosa de madeira de gaiac, a sensualidade do musk branco e a exoticidade resinosa do Benzoin. A composição tem a ternura recorrente das criações de Annick e não há algo mais terno que imaginar o cenário parisiense.
Ainda que a baunilha aflore do perfume, ela não é tão doce e não engessa a evolução da fragrância. É uma baunilha-flor, sedosa como os vestidos de uma grande realeza, cativante com os jardins de uma palácio, doce como os brioches franceses. Para isso, a atuação da angélica e do benzoin diferenciam o perfume na classificação de gourmand, tanto que Vanille Exquise não carrega tanto o aspecto 'foody' de muitas criações avaniladas. A angélica resgata o romantismo e a beleza de jardins reais; conferindo ao perfume a feminilidade e o benzoin resgata a sensualidade a qual reforça o lado quente da baunilha






Dizem que Vanille Exquise teve como inspiração uma marquesa das ilhas da Polinésia Francesa. Como desconheço a imagem dela, gosto de imaginar que o abaunilhado de Annick Goutal seria o perfume ideal para Kirsten Dunst no filme Maria Antonieta(2006), dirigido pela brilhante Sophia Coppola. O filme, ganhador do oscar de melhor figurino, tem um cenário belíssimo de cores, texturas e sabores muito bem alinhados à delicadeza e doçura da atuação de Kirsten Dunst no papel. Esta adaptação da figura de Maria Antonieta, estigmatizada como a rainha da frança do século XVIII, malvada e odiada por muitos foi de uma nova e deslumbrante visão por parte da filha de Francis Ford Coppola porque ela projetou uma nova personalidade à Maria Antonieta em um cenário clássico e moderno. Fabuloso para uma nova rainha, muito mais dócil do que propagado. Cada parte do filme me lembra Vanille Exquise, do floral ao abaunilhado. Doces, flores, roupas, lugares... com o delicioso gosto de uma leve baunilha.








Quer candies? Melhor se for com baunilha e neste cenário. Assista parte integrante do filme Maria Antonieta.




Fotos: Annick Goutal Fonte : Nowsmellthis blog
Imagens Filme Marie Antoinette, de Sophia Coppola. Fonte: Sony Pictures
Interfilmes.com

2 comentários:

Liana disse...

Eu acho um perfume chiquetésimo, diferenciado, etc...
Mas a fixação...
Por isso qinda não me decidi
tenho uma amostra, que vale ouro
Quanto à Maria Antoniete, sou muito mais madame de Pompadour
Bjoks

Rosa Negra disse...

Eu também acho uma baunilha sofisticada e delicada, como qualquer madame das realezas. Sim, a fixação dos Annick Goutal deixa a desejar porque eles usam muitos elementos mais naturais, mas dizem que os EDP's são melhores. Eu acho o Vanille Exquise uma fixação razoável em comparação aos demais.