sábado, 22 de setembro de 2007

O perfume na literatura com Marcel Proust

"Quando de um passado muito distante nada subsiste depois das pessoas estarem mortas, depois das coisas estarem quebradas e dispersas, somente sabores e cheiros, mais fragéis, porém mais duradouros, mais não-substanciais, mais persistentes e mais fiéis permanecem estáveis por longo tempo, como almas, lembrando, esperando, ansiando, dentre as ruínas de todo o resto; carregam inabaláveis, na minúscula e quase impalpável gota de sua essência, a vasta estrutura da memória."

Marcel Proust, Remembrance of Things Past




Foto: capa do livro perfume of memory,
de
Michelle Nikly. Para ver a sinopse, clique aqui

Nenhum comentário: