terça-feira, 14 de agosto de 2007

Parfum Sacrè, Caron


Considero Parfum Sacrè, da luxuosa boutique Caron, uma relíquia barroca; um perfume que não segue as convenções racionais, não segue o enlevo terreno. Ele é um perfume que exulta o místico na sua forma mais libertadora.
Minha viagem olfativa não me leva a um destino tão oriental como o da campanha e sim para um destino sacro-barroco, nebulosamente impalpável como o caminho da espiritualidade.
O desenvolvimento das notas de Sacrè seguem acordes suntuosos como a imagem de uma escultura barroca. Imagine as formas sendo traçadas dando a ilusão de glórias celestiais, criando uma área de expansão cheia de relevos: um corpo floral com o incenso da mirra que surge com uma nuance herbal pungente, representada pelo coriandolo . Logo, o coriandolo dá passagem a uma nova forma que é a mirra com nuances especiariadas de uma leve pimenta mesclada com uma baunilha atalcada, sugerindo um pó místico que, colocado em um cálice, suscita o mais estonteante êxtase. Todas as notas criam este feixe de luz como que abrindo visões espirituais , sacralmente sensuais e emotivas.
Este cálice sagrado requer uma personalidade dual. Aquela que transita entre o humano e o divino, que exalta muito mais a emoção e deseja a libertação dos sentimentos mais íntimos em uma esfera espiritual e dramática até atingir o gozo sagrado.
Entre tantas artes, sempre me vi como parte de uma arte barroca, por isso Parfum Sacré é o meu cálice barroco. Pensar em barroco e Sacrè é pensar, sem dúvidas, na obra "O êxtase de Santa Teresa" do artista italiano Gian Lorenzo Bernini, um dos pioneiros deste movimento e um dos meus artistas preferidos. Nesta escultura, Teresa revela seu momento de êxtase ao ser flechada por um delicado anjo, para em seguida ver os raios dourados de luz que parecem aproximá-la do divino. Neste momento, a escultura demonstra um prazer imensurável na face de Santa Teresa. Dor e êxtase a deixam desfalecida, totalmente entregue à emoção. Suas roupagens ganham movimentos alados, tortuosos, sublimes. O desejo profano une-se ao gozo divino em uma atmosfera dual e libertadora.
Imaginar Sacrè nesta imagem é imaginá-lo embebido na flecha do anjo, pronto para ferir - me e levar-me a um jardim de delícias divinas.







Um comentário:

Pável Henry disse...

"Divin parfum Sacré".
É divino, tentador, misterioso...
Um perfume afiado e difícil de se usar.
Um aroma seco que nos faz entrar em êxtase alucinógeno... que como diz sua resenha Cris, "para em seguida ver os raios dourados de luz que parecem aproximá-la do divino."
Parfum sacré é isso... no seu lado misterioso, é algo sagrado num frasco... e no seu lado tentador, pode ser a visão do Éden!
>.<