terça-feira, 17 de julho de 2007

Perfume Review: Le Baiser du Dragon, Cartier - Basta somente um "petite baiser"


Basta somente um "petite baiser", uma borrifada deste EDP, um sopro, um beijo deste perfume para que todo o corpo se aqueça com este aroma sedutor, fascinante e muito chique. Um aroma poderosíssimo, que só poderia ser requintado na medida certa , reflexo de uma marca que cobre homens e mulheres com jóias, la Cartier. A evolução de Baiser du dragon na minha pele aconteceu em diversas camadas, característica digna de poucos perfumes que conseguem evoluir de forma gradual, misteriosa, como se cada nota pedisse para ser decifrada. Uma saída intensa , amadeirada e adocicada na qual prevalece o amaretto e o patchouli em um primeiro momento. Neste momento, é interessante notar que o perfume adquire um leve estado amargo ; percebi que sentindo a pele com atenção, nota-se uma nuance amarga que um pouco depois se mescla a uma mistura do benjoin e do vétiver; acredito que seja a influência do neroli pois esta nuance amarga chega a ser levemente um cítrico amargo. O benjoim sobe um pouco mais na pele, me fazendo lembrar a sofisticação do Moschino Couture; de fato um aroma bem aparente, mesmo com a intensidade das notas de vétiver que por fim fecham o perfume com um floral amadeirado, muito mais amadeirado. Interessante é que o aspecto floral se une ao fim como o fio que faltava para deixar o perfume mais feminino e sensualíssimo. Na minha opinião, uma obra prima de Cartier que reflete a classe da linha. Tem a versatilidade para ser usado por homens, embora o perfume quando bem fixado seja um perfume de mulheres poderosas, elegantes e sensuais. Pessoalmente, não consigo imaginar este dragão beijando um homem pois o relaciono a imagem de uma mulher como em chamas, mas como todo perfume de vanguarda, poderia dizer que Le baiser du dragon é como boa parte dos perfumes de nicho para o qual não há sexo definido; um clássico atemporal e assexual.

4 comentários:

Italo disse...

Descobri o Beijo do Dragão hj, e confesso, que o aroma é perfeitamente arepiante, me senti coagido a lacrimejar de tanta beleza, é um perfume para geraçoes, a harmonia é extrema como uma sinfonia mistica de um mantra oriental, que te leva a extases extra corporeos, o encanto continua pois a fixação é extrema e provavelmente será uma compra futura em edp, pois gosto das dores mais intensas e dos venenos mais fortes...

Italo disse...

Completamente inflamado pelas chamas doces e florais de um beijo mitologico, de poderosos Dragões chineses dominadores dos céus, é como penetrar em uma lenda de data indefinida onde a força feminina consegue mudar destinos, me remete ao Clã das Adagas Voadoras, combina em tudo com mulheres guerreiras e fortes!

Anônimo disse...

O beijo do Dragão é como um sopro quente, incandescentemente leva-me a perdição dentre tantos aromas... mantras divinos que se repetem pressagiando o poder deste dragão para a força olfativa... como o hálito quente de um perfume-dragão, seduz-me, sufoca-me de desejo como se o odor tivesse que ser materializado e marcado no meu corpo como uma tatuagem selvagem e elegante, unindo as pontas contrárias de um classicismo exacerbado e de um vanguardismo também intenso que só poderia ser a la Cartier.

Bésame dragón y matáme de amores con dolores, marca mi piel ahora y siempre.

Anônimo disse...

Não falo tão bem como você, mas quando borrifei baiser du dragon no pulso, perguntei, para ninguem pois estava sozinha na cozinha de casa, "Quantos perfumes tem aqui dentro?" esta é a impressão que ele me passa, a surpresa de camadas e camadas de odores maravilhosos...