terça-feira, 17 de julho de 2007

Perfumaria árabe e suas representações



Falando um pouco sobre os attars e suas representações, exponho um pouco de quais seriam os principais pilares do uso destes óleos concentrados em forma de perfume, em sua maioria. Mais adiante poderão ver que de maneira geral, o perfume está presente em vários aspectos da dança, seja para a auto-estima, seja para o ser feliz, seja para o seduzir. Primeiramente, o attar tem um relação bastante próxima a questão mais espiritualizada da cultura, por isso há um respeito onde , como e por que usá-lo. Desde o Egito antigo, os perfumes eram utilizados em cerimônias religiosas porque criavam uma atmosfera para a reflexão e a meditação, normalmente as matérias primas dos perfumes estão relacionados a criar um estado de espírito sereno e reflexivo, algo que começa não está simplesmente no corpo, mas é parte da alma e trará uma conexão do espírito com todo o resto do corpo físico, por este motivo muitos rituais espirituais , principalmente de oferendas aos Deuses, implicavam difundir os perfumes em incensos além de dar como oferenda a estes Deuses. Matérias primas como rosa, sandalo, cedro são considerados elementos naturais mais tradicionais com propriedades de ligar a natureza ao ser humano e o ser humano ao divino. Esta seria um das representações dos attars para estas pessoas: ligar o terreno ao espiritual. Nestas ocasiões, a dança e a música ou simplesmente o silêncio acompanhavam os incensos perfumados no ar, como uma fascinante atmosfera oriental, enigmática e transcedental.
Trazendo os attars para um contexto mais moderno, esses óleos concentrados representam um ponto de apoio para a saúde, ou seja, nas formas mais puras estas essências tem propriedades curativas que implicam usa-las em contextos de aromaterapia, na sua maioria. Para o oriente, a aromaterapia não é tão formal como vemos no ocidente, de ir em uma loja e comprar essências. Normalmente, estes óleos são preparados no contexto familiar (na forma tradicional, como um elemento curador) ou muitas vezes por um muslim de confiança, no qual a família tem grande respeito. Esta seria outra representação destes elementos para a cultura, ou seja, pessoas que buscam simplesmente sentir-se melhor, curar-se de algo que lhes ataca o corpo e a mente. Normalmente o contexto é mais doméstico e não necessariamente médico. Um exemplo é o óleo de Wild Mysore Sandalwood, que além de ter um perfume doce e amadeirado, é genuinamente um elemento que serve para aliviar tristeza, depressão, estados negativos da mente. Por outro lado, ele é conjugado na indústria cosmética com elementos com o Frankincense e vitamina E que combatem o envelhecimento da pele. Colocando em um contexto mais geral ainda, a outra representação é a que engloba a vaidade em si, a sedução , o afrodisíaco e o dar um presente que permite dar ao presenteado todas as representações juntas e porquê não o perfume como um acessório que veste a pele, parte do ritual de preparação para uma dança.
Nestes casos, os attars que levam notas marcantes como rosa e jasmin, musk, sandalwood, musk , amber e agarwood conseguem englobar as principais notas que trarão feminilidade e masculinidade (a rosa é um elemento bastante masculino na cultura árabe), o musk é um tipo de feromônio sexual , o sandalwood é relaxante, trabalha a favor da sensação de prazer , o amber é um elemento de sensualidade, mais quente e o agarwood com a opulência e aroma intrigante da resina ; enfim possibilitam englobar um attar mais completo que une toda a representatividade do perfume árabe para a cultura, em geral. De maneira geral, o ato de dar um perfume como presente é um ato cheio de sentimento, que chega a ser um ato de nobreza e cavalheirismo, principalmente entre homens; por isso nas famílias mais tradicionais e nobres do oriente, o ato de dar e receber um perfume é uma honra; costumam ser perfumes personalizados justamente para colocar o que é presenteado e aquele que presenteia em uma relação de lealdade, amizade e respeito. No caso das mulheres árabes, o perfume também é um ritual, um preparar-se para o homem, um elemento da passionalidade que existe em cada uma delas; por isso assim como ela desenha o seu olhar de forma majestosa com o kajal (khol) ela também se perfuma. Entre os véus e a opressão, existe a paixão e a vaidade dentro de cada uma delas.

Fotos:
Mulheres persas tocando em cerimônia e mulheres árabes com véus





Nenhum comentário: