quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Perfume Review: Enlèvement au Serail, Parfums MDCI

Part of Niche perfumes for a High-End Spring,
a sublime Springtime Series by Perfume da Rosa Negra





O perfume, como adorno e, esplendidamente, como Arte é capaz de vestir a minha pele, como se eu passasse de uma condição de pintura inacaba para um a obra de arte, ornamentada para exaltar a beleza das formas e das cores vivas que habitam em minha alma, corpo e espírito, assim, esta pintura finalizada  passa a uma nova condição, a de ser apreciada e, sendo capaz de tocar a emoção alheia, provavelmente será desejada, amada, sempre lembrada. Enlèvement au Serail da perfume house Parfums MDCI, luxuosa e de bom gosto casa dirigida por Claude Marchal é um destes perfumes que vestem meu corpo como se o cheiro fizesse parte da obra prima, a do feminino, da mulher humana que se converte em uma expressão da feminilidade, harmônica, sensual, refinada. Esplendidamente bela.

O perfume, o ornamento para a noite, cria uma aura de sofisticação, com uma fragrância que supera a passagem do tempo e apresenta um clássico luxuriante com expressivas notas de ylang ylang, jasmim sambac e tuberosa em uma base quente, levemente amadeirada com a sedução do patchouli, do sândalo e do vetiver. Uma harmonia no bouquet floral vintage, cremoso, sedoso, ainda denso que traz a doçura da tuberosa e o apelo sensual do ylang ylang, deleitável fascínio que intensamente move os sentidos ao prazer olfativo com um sutil toque atalcado  em meio às especiarias que rompem a seriedade do clássico, aquecendo a pele com a sensualidade da misteriosa noite, enaltecida pela presença das flores. 




Enlèvement au Serail como  reinterpretação moderna de  fragrâncias femininas clássicas tem a perfeição da mulher em uma obra de arte, amalgamando a criação e o meio pelo qual a criação é feita, despertando uma estética quase adormecida atualmente, a estética do belo na perfumaria. Louvavelmente, a fragrância só poderia ter sido concebida com o trabalho de duas exímas almas artistas em 2006: o perfumista Francis Kurkdjian que assina a fragrância e Claude Marchal, proprietário da Parfums MDCI que, indiscutivelmente, tem o gosto da Arte e vive para ela. Ambos demonstram, com esta criação, que o mètier dos clássicos não foi perdido nem esquecido.





Recordo-me que quando  experimentei o perfume pela primeira vez, fiquei em um estado de espírito paradisíaco perdendo propositalmente meus pensamentos para encontrar-me a mim mesma, mais mulher, mais feminina. Eu era como os belos bustos encontrados nos frascos dos MDCI Parfum. Um busto perfumado com gotas de  Enlèvement au Serail escorrendo por entre meus seios provocando reações múltiplas como um endeusamento do feminino  a partir de sensual cheiro; o resto do corpo, era simplesmente a fragrância, já entregue à esta perfumação clássica moderna, tão lingerie, tão retrô contemporâneo, tão eu entre dois mundos de marcantes mulheres.





Por isso , compreendo agora, ao vestí-la de novo, a beleza da fragrância e a intenção de Claude Marchal que queria um perfume muito especial, como  ele mesmo me disse : um perfume feito como antes, opulento, complexo, tão rico e profundo em nuances como contemplar estas qualidades em uma pintura de Caravaggio ou Veronese. Logo uma fragrância atemporal para mulheres que sabem e reconhecem que é possível fazer perfumes como antes, basta encontrar verdadeiros artistas.

O que é mais bonito na fragrância é capturar o opulento, mas ao mesmo tempo, muito delicado drydown. A arte, pensando nas pinturas de Caravaggio, tem esta presença de ser rica em detalhes e criar um impacto ao primeiro olhar, algumas vezes entre atração e repulsão assim como os clássicos, mas também, na proporção que a fragrância se desenvolve para a base, ela se torna mais íntima, para o toque e para o olhar, como um momento de intimidade entre ambas as partes, um tipo de aceitação da fonte de real arte, como o belo, que pode estar mais  presente em nossas vidas presentes.

A beleza em Envèlement au Serail está porque ela é clássica, mas não é "old fashioned", retro e vintage são palavras adequadas para classificá-la em seu essência única. Envèlement au Serail adorna o corpo da mulher com o que ela tem de melhor, sua femininidade atemporal. 



Avaliação


Versão avaliada: Eau de Parfum
Fixação: +12 horas
Sillage: médio
Drydown: floral oriental

Perfumista: Francis Kurkdjian
Notas: bergamota, mandarina, ylang-ylang, jasmim sambac, tuberosa, rosa, wallflower, patchuli, sândalo, baunilha e vetiver.

 

Dica PRN: Se você gosta de perfumes como Rochas Femme e Natori EDP, você gostará de Envèlement au Serail.
 



(English Version)



The perfume, as an adornment and, splendidly, as an ART is able to wear my skin as if I could pass from the condition  of an unfinished painting to a masterpiece ornamented to exult the beauty of forms and lively colors which are in my soul, body and spirit, then this new finished painting is now appreciated, can touch the other's emotion, probably will be desired, loved, always remembered. Enlèvement au Serail , fragrance of the perfume house  Parfums MDCI, luxurious and good taste niche brand led by Claude Marchal is one of these perfumes which wear my body as if its scent would be part of a masterpiece, the one from the femininity, of the human woman who is converted in a real expression of feminineness, harmonic, sensual, refined. Magnificently beautiful.


The perfume, the ornament for the eventing, creates a sophistication aura, featuring a scent which overcomes the passage of the time and presents a luxuriant classic composed by expressive notes of   ylang ylang, jasmine sambac and tuberose fading into a warm base, slightly woody with the seductiveness of the patchouli, sandalwood and vetiver. An harmony in a vintage floral bouquet, creamy and soft, yet dense that brings the sweetness of the tuberose and the sensual appeal of ylang ylang, delightful and fascinating olfactive expression which intensely moves my senses to the pleasure with a subtle powdery in the middle of spices that break the seriousness of the classic, warming up the skin with the mysterious sensuality of the night, blessed by the presence of flowers.
 

Enlèvement au Serail  as a modern reinterpretation of classic female fragrances has the perfection of a woman as an artwork, amalgamating her as creation and the way by what the masterpiece is created, awakening the aesthetics almost "asleep" in recent times, the aesthetics of the beautifullness in the perfumery. Praiseworthly,  in 2006 the fragrance only would be composed by the teamwork of two  great artistic souls: the perfumer Francis Kurkdjian who made the  fragrance  briefed by Claude Marchal, owner of Parfums MDCI who, divinely, has the taste of Art and lives for it. Both demonstrate , with this creation, that the mètier of classics perfume making was not lost neither forgotten.

I remember when I sniffed the perfume at the first time, I kept myself in a heavenly state of mind, losing purposely my thoughts to find myself , more woman, more feminine. I was such  these woman's busts found  in MDCI Parfums' caps. A fragrant bust by Envèlement au Serail drops  running on my  breasts provoking multiple reactions such a type of femininity apotheosis  from a sensual scent, the rest of the body was simply the fragrance,  even then  devoted to the modern classic  perfuming moment, so lingerie, so contemporaneously retro, so myself between two worlds of remarkable women. 


Because of that, I am completely aware now, while wearing  this scent again, about the beauty of the fragrance and the intention of  Claude Marchal who would like to introduce a very special perfume, like he told me further: a perfume made as before, opulent, complex, rich and deep in nuances  like we would contemplate these qualities in one Caravaggio or Veronese painting. Therefore, a timeless fragrance for women who know and recognise that it is possible to make perfumes as before,  only to find real artists.

The most beautiful of the fragrance is capturing this opulent, but at the same time, very delicate form in the drydown. The art, thinking of Caravaggio paintings, has this presence of being rich in details and creates some impact on first glance, sometimes between attraction and repulsion, but at the same time, in proportion the fragrance fades into the base, it becomes closer to the touch and glance, like an intimate moment between both parties, a type of acceptance about the source of real art, as the beautifullness, that should be more present in our recent lives.

The beauty of Envèlement au Serail  is because it is classy but not "old fashioned", retro and vintage are suitable words to describe its unique essence. Envèlement au Serail ornaments the woman's body with what she has as best, her timeless femininity.




Rating


Evaluated Version: Eau de Parfum
Long-lasting power: +12 hours
Sillage: medium
Drydown: floral oriental

Perfumer: Francis Kurkdjian
Notes: bergamot, mandarin, ylang-ylang, jasmine sambac, tuberose, rose, wallflower, patchouli, sandalwood, vanilla and vetiver.


PRN Tip: If you like perfumes such as Rochas Femme and Natori EDP, you will enjoy Envèlement au Serail.



Perfume Review by Copyright Cristiane Gonçalves for Perfume da Rosa Negra
Photo credits MDCI bottle: Parfums MDCI

Photo credits: Renaissance Venice Art

2 comentários:

Lathife Cordeiro {..aquela} disse...

Cris querida,
indiquei teu blog aqui, ó: http://vidablogueira.blogspot.com/2009/12/4-indicacao-ao-selo-eu-fui-indicado.html

bjs cheirosos :*

Cristiane Gonçalves aka Cris Rosa Negra disse...

Olá, flor.
Obrigada! Nem tenho palavras, mas tenho perfumes cheirosos para postar aqui e deixar sua vida mais perfumada.
Bjs,
Cris