segunda-feira, 18 de maio de 2009

Perfume, Publicidade e Semiótica /Perfume, Advertisement and Semiotics

Fendi Uomo, Fendi


Roland Barthes,
um dos maiores escritores sociais e críticos literários é o típico homem intelectual e sensível com um apurado olhar artístico e visão social. Falecido na década de 80, Barthes se eternalizou no meio acadêmico, entre sociólogos, literários , linguistas e intelectuais do cinema, da fotografia, música e artes em geral.


Como um importante nome na
Semiótica, a ciência que estuda a significação dos códigos e signos na sociedade e cultura, Barthes é considerado leitura obrigatória para os profissionais ligados às artes visuais, principalmente, profissionais que trabalham com comunicação em geral. No caso da perfumaria, Barthes é " um must reading" para publicitários e marketeiros que desenvolvem campanhas de fragrâncias, considerando que signos bem elaborados a respeito de um conceito de um perfume e a sua significação para uma compra, quando codificados pelo consumidor de forma convincente através de uma boa e honesta publicidade, todos ganham, a marca e a consumidor. Se a semiótica é bem utilizada, o poder de persuasão sobre o produto e o verdadeiro código perfumístico serão bem sucedidos, logo não haverão falsas propagandas, principalmente aquelas bem ineficazes e sem criatividade.


A fotografia, para uma campanha publicitária é extremamente relevante, o impacto da magia das cores, das nuances, das sombras, dos focos, etc. Acima de tudo, a fotografia na perfumaria é uma linguagem e, como diz Barthes, em um dos seus best-sellers sobre fotografia , a Câmara Clara " A linguagem é como uma pele: com ela eu entro em contato com os outros".






Vera Wang Fragrance

Esta citação é fantástica, uma obra prima em palavras. A linguagem entra pelos poros e é como a própria pele. Entra em contato com todos os sentidos; assim como o perfume que, ao ser borrifado, entra em contato com a pele e o olfato; assim como a imagem publicitária de uma fragrância que, ao ser contemplada, entra em contato com o nosso olhar e uma série de sensações. Perfume é linguagem e, perfume com publicidade fotográfica é uma poderosa linguagem.


A fotografia e a pintura são como o perfume, impalpáveis, mas quando juntas se tornam parte de nossa pele, chegamos a sentí-las no tato e na visão. Barthes comenta, no mesmo livro que, a luz de uma fotografia também é impalpável, mas ela acaba se tornando tátil, carnal porque liga aquele que é fotografado ao que fotografa. Fazendo uma analogia, entre perfume e fotografia publicitária, há uma luz perfumada que nos liga à fragrância e à contemplação da mesma em uma foto e, de repente, o perfume se torna carnal, real.


Nas quatro publicidades selecionadas para este post, a fotografia e a pintura se mesclam de forma tão belissíma com o perfume e a sensação é de um diálogo a três, absolutamente fascinante. Do ponto de vista de linguagem na Semiótica, elas são incrivelmente obras de arte, principalmente porque, nestas publicidades, a fotografia se funde com a pintura, se tornado própria pintura, logo o foco fotográfico é diferenciado, um foco de sublime beleza, o foco de uma fragrância como uma peça de arte.




Fendi Donna, Fendi


Uma mistura de códigos na qual diferentes expressões artísticas se tornam uma só e "a linguagem é como a pele"
, nos toca, detonando sentimentos de graciosa fascinação, como tocar três grandes artes : perfume, pintura e fotografia em um momento único de paixão e sublimação.




Flore de Carolina Herrera




Prêmio TOP BLOG 2009 Brasil

Vote Perfume da Rosa Negra
deadline: 11 de Agosto
Melhor blog - categoria variedades






(English Version)


Roland Barthes,
one of the most famous social writers and literary critics is the typical intellectual and sensible man with an accurate artistic eye and social vision. He passed away in decade of 80 and and became eternally respected in the academic environments , among sociologists, literary writers, linguists and intellectuals in the cinema, photograph, music and general arts.


Being a renowned name in
Semiotics, a science that studies the significance of the codes and signs in the society and culture, Barthes is considered a must reading for all professionals related to the visual arts, mainly those who work with general communication. Regarding to perfumery, Barthes is a "must-reading" for advertisers and marketers that develop fragrances campaigns, taking into consideration that signs well elaborated about a perfume concept and its meaning for a potential purchase, when coded by the consumer in a very convincible way and through a good and honest publicity , everybody win, the brand and the consumer. If the Semiotics is well used, the power of persuasion about the product and the true fragrant code will be well succeed, therefore there will not be false advertisements, mainly those ones innefficacious and uncreative.


The photograph, for an advertisement campaign is extremely relevant, the impact of the magie of colors, nuances, shadows, focuses, etc. Above all, the photograph in the perfumery is a language and, as said by Barthes, in one of his best-sellers , Camera Lucida " The language is a skin: I rub the my language against the other".



This quote is fantastic, a masterpiece expressed in words. The language is absorbed by the pores and becomes the skin. The language touches all the senses; as well as the perfume which, is sprayed on someone and is melt into the skin and smelt by the olfaction; as well as the advertisement image of a fragrance that is contemplated and then makes contact with eyes and a series of sensations are felt. Perfume is language and, perfume and photographic advertising is a powerful language.


The photograph and the painting are like a fragrance, untouchable but when they are together they become part of our skins, we feel them in touch and vision. Barthes comments, in the same book, that the light of a photograph is also untouchable, but it becomes tactile , carnal because connects that one who is being photographed to the other who is photographing. Making an analogy between perfume and advertising photograph, there is a fragrant light that connects us to the fragrance and to the contemplation of this fragrance in one photo image and, suddenly the perfume become carnal, real.


In these four advertisements selected to this post, photograph and painting are mixed with the perfume in a beautiful way, the sensation is that there is a dialogue a trois, absolutely fascinating. Under the point of view of language in Semiotics, they are amazingly masterpieces, mainly because, in these ads, the photograph is so deeply attached to the painting, the photo is the own paiting, then the photographic focus is distinctive, a focus of sublime beauty, a focus of a perfume as an art piece.


A mix of codes in which different artistic expressions become just one and " the language is a fragrant skin"
, touch us, arousing feelings of gracious fascination, like to touch three arts: perfume, painting and photograph, in one unique moment of passion and sublimeness.




Awards TOP BLOG 2009 Brazil

Vote Perfume da Rosa Negra
deadline: August, 11th
Best Blog - Variedades category





Review by Copyright Cristiane Gonçalves aka Cris Rosa Negra for Perfume da Rosa Negra
Advertisements Fendi, Vera Wang and Carolina Herrera. all rights reserved to the brands. Source: Images des Parfums
and Couleur du Parfum

3 comentários:

andy disse...

Thank you for this post, Cristiane. I think I learned all there is to know for my next project ;-)
on a serious note: the quote "The language is a skin: I rub the my language against the other" is fantastic. As are the pictures...

Cris Rosa Negra disse...

Great Andy,
This quote fits perfectly to your talent... go on, Barthes is all!

http://www.chypre-perfume.blogspot.com/ disse...

Hi Cris Rosa Negra