terça-feira, 14 de outubro de 2008

Perfume review: L'air du desert marocain, Tauer Perfumes


O desejo é um sentimento apaixonado. Pode ser passional, turbulento, insano. Ou pode ser intenso, porém paradoxalmente sereno. A serenidade de ter encontrado o objeto desejado após anos e anos de busca e, finalmente, o ter desejado e concebido o desejo profundamente. Eu encontrei o desejo e ele estava no deserto.

O deserto atiça o desejo em múltiplos sentidos. O desejo de beber a água que trará a saciedade de suculentas frutas orientais, o desejo de ver o oásis que trará as delícias de uma visão paradisíaca, o desejo de ouvir os acordes de uma fascinante percussão tocada pela mais pura alma entre as orientais, o desejo de tocar macios tecidos de um palácio imperial, o desejo de cheirar o aroma de
nobres e raras especiarias. Todos os desejos vêm com o vento e se convertem em um único desejo que toca o rosto, estremece o corpo, inspira novas realizações e dá um fôlego de vida, o desejo de L´air du desert marocain.

Desejando ser desejada e desejando o desejo, encontrei o próprio desejo em forma de perfume. Estando no Marrocos, em sonhos olfativos tão reais, aspirei o ar que veio da Suiça, país onde está locado um dos perfumistas mais talentosos da perfumaria mundial, Andy Tauer, criador do L´air du desert marocain, fragrância que tem como notas coriandro, cominho, petitgrain, rock rose, jasmin, madeira de cedro, vétiver e âmbar e considerada pelo seu criador " o aroma do desejo", de acordo com o website Tauer Perfumes. Existem também publicações que afirmam que o perfume tem algumas notas adicionais, a configuração completa leva coriandro, petitgrain, limão, bergamota, jasmin, cistus, bourbon, gerânio, madeira de cedro, vétiver, baunilha, patchouli e âmbar cinzento. Algumas destas notas adicionais também surgiram na minha experiência olfativa, tornando o perfume uma das minhas marcas em fragrâncias pessoais.

L´air du desert marocain é uma fragrância que impressiona como surpresas que podem surgir em um deserto inóspito. Assim estava eu antes de experimentar esta obra de arte de Andy Tauer. Estava só, ávida por encontrar o Habib dos perfumes para acompanhar-me em uma noite oriental; o cheiro que despertasse o meu desejo como mulher por trás de um véu sob o véu da noite , uma fragrância que me seduzisse de forma sensual surpreendendo-me a cada fase de evolução, mas mantendo sua essência como fragrância, uma nobreza de escalas sensoriais dignas do mais nobre dos perfumes orientais. Nobre como o desejo de, finalmente, encontrar aquele que me envolverá como uma mulher, perfumadamente cheia de virtudes e que merece um amor após o deserto das emoções, assim é o meu L´air du desert marocain.

A fragrância abre, com majestade, a exuberância das folhas de coriandro, balanceando um frescor quente, herbáceo e especiado. Posteriormente, o perfume tem a beleza emergente, fresca, frutada e levemente cítrica da bergamota, contrapondo-se ao sol escaldante de um deserto, porém trabalhadas com um efeito seco. Neste ponto, a fragrância tem um inesperado acorde para uma abertura com notas de limão e bergamota fazendo jus a perfeita arte de Andy Tauer em fragrâncias.

O frescor quente é muito bem feito como abertura do perfume, não é imediatamente cítrica, mas preenchida pelo coriandro, o qual funciona muito bem com outras especiarias como o petigrain, cominho, cravo e canela. Esta característica moderadamente especiada, marcante porém leve , envolta em uma aura com traços balsâmicos e considerável efeito seco ainda mantém um retrato de um cenário desértico.

Notas como petigrain, coriandro e bergamota são divinamente mescladas no blending do perfume, provendo sensações de respirar um ar arejado e herbal e que urge cada vez mais por um frescor sem descaracterizar o calor do Oriente e suas tradições de quentes especiarias. Esta é a primeira e bela surpresa ao sentir o desejo presenteado por Andy Tauer: a quebra de um paradigma do calor incendiário de um deserto. O desejo desperta-me para uma outra visão deste cenário, a visão conceituada pelo perfumista que " imagine encontrar paz em uma sala, deitado(a) na cama, exaustado(a) do calor do dia, com a janela aberta, deixando o ar fresco que ainda é muito seco e preenchido por aromas do deserto próximo e invadido pelo aroma das especiarias das ruas" - Andy Tauer.


O incendiário aqui continua sendo o desejo por cheirar e cheirar mais de L´air du desert marocain como se uma atmosfera invisível me guiasse pelas areias do Maghreb e todo o deserto pudesse abraçar-me por inteiro. Abraça a rosa, L'air. Como nota de coração, a rosa reina, feminina e doce. Embora eu não sinta tanto a rosa no seu mais puro auge olfativo em L´air du desert marocain, prefiro dizer que ela está ali como uma rosa levemente frutada e doce (pois lembro de outras rosas de perfumes em óleo árabes, rosas suculentas como se fossem frutas do Oriente). Quando respiro este novo ar, eis que percebo que esta rosa é tão bela, exatamente por mesclar o frutado com o especiado, perseguida ao fundo ainda pela presença da bergamota.

É importante louvar a qualidade dos ingredientes nas fragrâncias Tauer Perfumes. É surpreendente e digna de contemplação. Na minha opinião, uma das melhores em perfumes de nichia (tanto que ao cheirar o aroma do desejo, fico com desejo de saber onde ele encontra ingrendientes tão bons). Sem dúvidas, é uma qualidade de pura nobreza para qualquer pessoa que prima pela qualidade das famosas matérias que são chave e contribuem na arte em perfumaria. Acima de tudo, para qualquer pessoa que valoriza a qualidade assim como respirar o aroma de tapetes árabes novos, mergulhar o nariz no tecido e sentir o quão macio e único pode ser o seu tecido.

A longevidade tanto no desenvolvimento das notas na evolução do perfume como no poder de absorção pela pele é um dos traços que me fazem perseguir este ar. Respirar mais, sentir o oriente como se o cheiro exótico do Marroco e sua beleza pudessem ser tragáveis em uma única aspirada.


É interessante notar também o traço do desejo através da nota de cominho, quase imperceptível e muito bem introduzida para dar sensualidade à fragrância . Como uma sincera mulher perfumada que tem problemas com esta nota(algo como atração e repulsa), não posso deixar de comentar que o cominho, muitas vezes é usado exageradamente na perfumaria, mesmo a de nichia, invadindo sem muitos limites o perfume como uma nota principal ou criando um efeito fastidioso, mesmo quando elaborado como nota de cabeça. Neste perfume, ela dá um toque colaborativo ao mix sensual e não dá espaço para a perda do prazer como se o l´air estivesse vindo da cozinha e não do deserto.

L´air du desert Marocain tem este poder de embriagar a própria pele, uma característica comum nos perfumes de Andy Tauer. A pele precisa das fragrâncias, uma positiva adicção para então, após uma ressaca deliciosa, reinar sóbria. Neste perfume, a aproximação das notas de especiarias tem a influência de uma espécie de nota Bourbon no coração do perfume, dando um característica muito elegante e contemporânea a fragrância, uma marca mais urbana.

Acompanhando o trabalho de Andy Tauer como uma fiel admiradora de seu talento, penso que este aroma bourboniano pode estar relacionado às nuances de Vétiver (que segundo comentado pelo perfumista em seu blog pode ter uma qualidade de Bourbon e Vetiverol). Bem, é um guess e espero estar certa. Na minha opinião, esta marca aproxima a fragrância do aroma das ruas do Marrocos, juntamente com as especiarias iniciais (que a todo momento estão na fragrância como marcas recorrentes, simbolizando a vivacidade dos mercados de especiarias do Marrocos, com cores, aromas, sabores e formas que simbolizam o desejo por esta cidade onde todos os desejos podem ser concretizados, a cidade cujo ar impulsiona os próprios desejos. Este vétiver balsâmico fica perfeito com o toque cítrico-quente-especiado que me matam com maravilhosos desejos.

Algumas notas base como o âmbar cinzento e madeira de cedro, tipicamente notas orientais, principalmente nos puros óleos árabes, de ricos palácios e suntuosos desejos são mais evidentes ao meu nariz. Este caratér almiscarado e ambarino na base do perfume é como um sopro animálico que entra pela janela para que o amor desejoso se consuma. Mesmo sendo notas com um peso balsâmico, oriental e suntuoso na fragrância, este peso ainda é leve como a leveza da fragrância, um peso que deixa o L´air du desert du marocain fluir pela janela, como véus de uma mulher oriental, fluídos, esperançosos pela liberdade do amor e do prazer. Além disso, tanto a mulher como o homem podem ser influenciados por este sopro, deitados no quarto sentindo o ar do deserto , já que a fragrância é totalmente compartilhável para ambos os sexos (embora ainda a acho mais focada para o feminino).








Este jeito cult de libertar as sensações em mim como se o cult fosse a melhor forma de concretizar um desejo cool é adorável, cativante. Esta é a visão que, após a peregrinação dos sentidos pelo deserto da vida, a mulher de L´air du desert du marocain terá. Ela sentirá a consumação dos seus desejos, o refrescar e o aquecer do seu corpo em outro corpo. Esta mulher é a rosa do Maghreb, sou eu na poesia do meu olfato.


I am the rose of Maghreb
that feel the loneliness of a desert
but you,
my dearest Tauer
found me there
captured my fragrant soul
evoked my dreams of gold
touched my precious petals
and I bloomed, now and always
no more loneliness
you made me a princess
loved, desired
filled by happiness
now and ever
my princess soul
is
light and night
sun and moon
sandy and airy
my smell reigns
I am the rose
of
your désert marocain

(by Cris Rosa Negra, Fragrance Writer from Brazil)




Poesia by Cris Rosa Negra, originalmente publicada neste post . Click aqui.
L ´air du desert marocain pode ser comprado no site Tauer Perfumes
(fretamento internacional de frascos), além disso você poderá
comprar amostras lá. Divirta-se!




(English version - Perfume review: L´air du desert marocain, Tauer Perfumes)

The desire is a passionate feeling. It may be passionate, turbulent, insane. Or may be intense, however paradoxically serene. The serenity of finding what is desired after years and years in search of it and, finally, desire it and deeply fulfil this conceived desire. I found the desire and it was in the desert.

The desert incites the desire in multiple senses. The desire of drinking water which will satisfy to the full, satisfy the hunger for pulpy oriental fruits, the desire of seeing the oasis which will bring the delightful vision of a paradise, the desire of listening to accords of a fascinating percussion played by the purer soul among the oriental ones, the desire of touching soft fabrics of an majestic palace, the desire of feeling the smell of great and rare spicies. All desires come with the wind and are transformed in one unique desire which touches the face, trembles the body, inspires new accomplisments and gives a new breath of life, the desire of L´air du desert Marocain.

Desiring to be desired and desiring the desire I found my own desire in a bottle of perfume. Being in Marocco, in olfactory dreams that are so real, I inhaled the air that came from Switzerland, country where is located one of the most talented perfumers of the world, Andy Tauer, creator of L´air du desert marocain, a cult fragrance that has notes of coriander, cumin, petitgrain, rock rose, jasmin, cedarwood, vetiver and amber and named by your designer as "the scent of desire" according to Tauer Perfumes website. There are are other publications that confirm some additional notes in the perfume ellaboration: coriander, petitgrain, lemmon, bergamot, jasmin, cistus, bourbon, geranium, cedarwood, vetiver,vanille, patchouli and ambergris. Some of these notes emerged during my olfactory experience, becoming L´air du desert marocain one of my favorite signature fragrances.



L´air du desert marocain is one fragrance that impresses like those surprises that come to sight in an inhospitable desert. I had this feeling before sampling this masterpiece of Andy Tauer. I stood alone , greedy to meet the Habib of perfumes to go with me to an oriental night; the smell that would awake my desire behind my face veil under the curtain of night; a fragrance that would seduce me in a sensual way, surprising me in each phase of its development, but keeping the fragrance essence, the distinction of loyal sensorial scales of the noblest East perfumes. Noble like the desire of meeting someone that will involve me as a fragrant and virtue woman who deserves the love after a desert of emotions. That is my L´air du desert marocain.

The fragrance opens, with majesty, the exuberancy of coriander leaves creating an interesting balance between the fresh-warm, the herbaceous and the spicy. Later the perfume has an emerging beauty: fresh, fruity and lightly citrusy of a bergamot note opposing itself to the scalding sun of a desert, however the blending still works on skin with some dry effect. Under this dryness olfactory approach, the fragrance has an unexpected accord for an heady blending which is accompanied by lemon and bergamot notes. From this angle, the fragrance is a perfect art in fragrance done by Andy Tauer.

The freshness and warmth effects in L´air du desert marocain is very well-done in heady notes. They are not citrus, but filled by coriander. This note works very well with other spicies like petitgrain, cumin, clove and cinnamon. This characteris­tic that is moderately spicy, remarkable but light, involved by an aura of balsamic trails and notable dry effect still maintains the portrait of a desertic landscape.

Notes like petitgrain, coriander and bergamot are divinely mixed in the perfume blending, promoting sensations of respiring an aired and herbal air; an air that pursues more and more a freshness and still keeps the mark of the Orient heat and its tradition of hot spicies. This is the first and gorgeous surprise when I sniffed the desire created and gifted by Andy Tauer: the break of a paradigm of the incendiary heat of the desert. The desire arouse me for an other vision of this scenario, the vision captured by the nose that "
'Imagine finding peace in a room, lying on the bed, exhausted from the heat of the day, with the window open, letting the cool air in which still is very dry and filled with the scents from the near desert and overlayed with the spicy scents of the streets below.' - Andy Tauer"

The incendiary mark is still keeping the desire of smelling and smelling more of L´air du desert marocain like one invisible athmosphere would guide me in the sands of Maghreb and all the desert would hug me, entirely. Embrace the rose, L´air. As heart note, the rose reigns, feminine and sweet. Despite I cannot identify so clearly the smell of the rose in its pure olfactory
depth in L´air du deserto marocain, I prefer to say that the rose is there, like a lighter fruity sweet rose (because remind me other roses of Arabian parfum oils, succulent roses as Orient fruits). When I respire this new air, I realize that this rose is so beautiful, exactly stunning because it joins the fruity and the spicy, still persecuted by the bergamot.

It is important to applaud the quality of ingredients in Tauer Perfumes fragrances. It is surprising and worthy of contemplation. In my opinion, one of the best quality in material of the niche perfumery industry(so good that when I smell the scent of desire, I desire to know where Andy Tauer find ingredients that are so good). There are no doubts, the quality is a high level element mainly for those who value quality in materials that are key and contribute to the art in perfumery and, above all, value them at the same level of inhaling the aroma of new arabian carpets, put their noses to smell the material and feel how unique may be the softness of a carpet fabric.

The longevity during the notes development in perfume evolution and in lasting power results on skin is one of the traces that make me follow this air closely. I respire L´air more, feel the Orient as if the exotic smell of Marocco and its beauty would be smoked in just one breath. It is interesting to notice that this desire trace through cumin note is almost imperceptible and very well introduced to give some sensuality to the fragrance. Like a sincere fragrant woman who has problems to accept this note (there is some aversion and repulsion) I cannot forget to comment that the cumin note, most of time, is used by the perfumery in excessive doses, even in the niche industry. Cumin invades perfumes in a exxagerated proportion like heart note or creates a disturbing effect, even when it is used as heady note. In Tauer´s perfume, the cumin has a collaborative touch to the sensual mix of fragrance and there is no space to lose pleasures as if L´air were coming from the kitchen and not from a pleasant desert.

L´air du desert Marocain has this power of intoxicating the skin like a drink, one distinguishable mark in Andy Tauer's perfumes. The skin needs his fragrances, a positive addiction and then, after a delicious hangover, the skin reigns sober. In this perfume, the approach of spicy notes has an influence of a type of Bourbon note in the heart of perfume, adding to the fragrance some finèsse and
contemporaneity, a urban trace.

Following the work of Andy Tauer as a loyal admirer of his talent, I think this Bourbondian aroma may be related to vetiver nuances( as the perfumeur comments in his blog, the Vetiver can have a quality of Bourbon and Vetiverol). Well, it is my guess and I hope I am right. In my opinion, this mark makes the fragrance scent closer to the Marocco's streets, together with the initial spicy notes(which every moment are in the fragrance like repeated trials, like symbol of the vivid market of spicies in Marocco, with colours, aromas, flavours and forms that symbolize the wish for this city where all desires can make true, the city whose air drives its own desires. This balsamic woody vetiver is perfect with these hints of citrus-warm-spicy which, beautifully, kill me with wonderful desires.

Some base notes like ambergris and cedarwood, tipically oriental notes, mainly in arabian, indian and asiatic parfum oils, from rich palaces and sultry desires are evident to my nose.This musky and amber stamps in the perfume base is like an animalic blowing that comes from the window in order to consumate the desired love.Even if these notes have a balsamic weight, oriental and
sumptuous on the fragrance, the weight is still light like the lightness of the fragrance, the weight that let L´air du desert marocain flow through window, like the veils of a oriental woman, mild, hopeful for the freedom of love and pleasure.Moreover both woman and man can be influenced by this blowing, lying on their beds, in their rooms, feeling the air of desert because the fragrance is good and wearable for both sexies(even though I think it is more feminine)

This cult way of setting free sensations in me as if the cult were the best way of achieve a cool desire is adorable, captivating. This is a vision that, after a senses journey by the life desert, the woman of L´air du desert marocain will feel the achievement of her desires, the refresh and the heat of her body in other body. This woman is the rose of Maghreb, she is me in the poetry of my olfaction.

I am the rose of Maghreb
that feel the loneliness of a desert
but you,
my dearest Tauer
found me there
captured my fragrant soul
evoked my dreams of gold
touched my precious petals
and I bloomed, now and always
no more loneliness
you made me a princess
loved, desired
filled by happiness
now and ever
my princess soul
is
light and night
sun and moon
sandy and airy
my smell reigns
I am the rose
of
your désert marocain

(by Cris Rosa Negra, Fragrance Writer from Brazil)


Poetry by Cris Rosa Negra, originally published on this post. Click here.
L´air du desert marocain can be purchased on Tauer Perfumes website
(worldwide shipment of bottles), moreover you can
buy samples there . Enjoy!


Photos: Bottle of L´air du desert marocain. Source and copyright Tauer Perfumes. All rights reserved.
Cris Rosa Negra as a oriental & desert woman. Personal collection album. Forbidden any publication without authorization.

Um comentário:

Anônimo disse...

Que cheiroso e dançante! aliki