segunda-feira, 30 de março de 2009

Perfume Review: Oiro, Mona di Orio Parfums



Mona di Orio é uma designer de fragrâncias francesa que lidera a criação de perfumes na Mona di Orio Parfums. Sua coleção inclui uma coleção de cinco fragrâncias de alto luxo Lux, Carnation, Nuit Noire, Oiro and Amytis, somando também uma linha de velas perfumadas que representa o bem-estar que produtos luxuosos para interiores pode trazer para nossos espaços de bom gosto.


É importante notar que Mona tem um background muito especial como perfumista e verdadeiramente acredito que , independente de seu talento natural para a perfumaria, ela foi abençoada com um dos melhores e mais experientes
nèz coach que um perfumista pode ter na carreira, um aprendizado , um sonho real para qualquer aspirante à perfumista. Ela teve como mentor Edmond Roudnitska, o legendário perfumista que deixou-nos obras-prima como Diorissimo e Eau de Savage. No competitivo mundo da perfumaria e também no intensivo caminho para atingir-se um alto nível de expertise em perfumes, certamente Mona Di Orio é orgulhosa de desenvolver seu conhecimento com Edmond e principalmente ter ficado próxima a seu negócio. Além disso, tenho percebido muitos pontos em comum com Mona, mais do que realmente apreciar o legado deste grande perfumista, ela também admira o trabalho de Serge Lutens, gosta de culinária , vinhos e seus sabores e aromas e tem um ponto de vista multidisciplinar sobre artes visuais e ciências humanas, logo é evidente o porquê de ela ter uma nariz refinado e uma sensibilidade para mensurar alguns ingredientes perfumados que eu pude sentir em sua fragrância Oiro.


Quando comecei a conhecer melhor seu trabalho artístico, fiquei impressionada com a curiosidade intelectual de Mona di Orio e , como perfumista de nicho, ela está preparada para trazer o melhor de si mesma. Ser um bom perfumista é mais do que misturar matérias fragrantes, construir o conceito e elaborar uma fórmula para a necessidade de um cliente; ser um perfumista é ser um conhecedor de vários campos do saber e unir estes aprendizados em algo que é , de fato, inspirador e perfumado, algumas vezes a área pode ser a fotografia, a pintura, a literatura, a culinária e mesmo que haja pessoas muito racionais a respeito de fragrâncias, o mundo perfumado é uma poesia real, um mix de entendimento muito maior do que receitas de perfumes e notas olfativas , é preciso entender o ser humano em uma relação real e a produção humana nas artes e ciências em geral, ser um bravo descobridor.


Oiro (2006) , a fragrância de "ouro" inspirada por uma alta qualidade de absoluto de jasmin foi uma surpresa interessante para começar a escrever sobre a perfumaria de Mona. Primeiramente, é uma fragrância sutil em seu desenvolvimento, você será capaz de sentir cada fase surpreendente como se estivesse tocando uma peça rara de ouro, lapidada com diferentes facetas, além disso aqui o jasmin tem uma performance realmente elegante, não exageradamente forte. Uma das melhores coisas que um perfumista pode trazer ao consumidor é quando, além de uma boa fragrância, é capaz de trazer uma que não seja óbvia e adicione algum mistério, algo a ser revelado, não importa se a nota olfativa que lidera o desenvolvimento seja comum ou não.


A fragrância "
gold" começa com uma chegada de mandarina bem verde, mas exótica com o refinamento da perfumaria de nicho. Há uma tensão na entrada, algo fresco mas, ao mesmo tempo, não fresco porque há o começo de um aroma levemente atalcado que é descoberto nas notas de cabeça e de coração. O aroma green é misturado ao de um jasmin bem floral, delicadamente de especiarias quando aspiradas profundamente. Mais tarde, o cheiro de jasmin lembra-me o jasmin de YSL Cinema para, depois, abrir um sillage amadeirado oriental reforçado pelo equilíbrio de notas de ylang ylang, âmbar e, principalmente, madeira de cedro em um corpo jasminzal. O aroma de mandarina é mantido na memória como uma experiência atemporal.


O que eu gosto muito em algumas raras fragrâncias é o poder de encontrar nelas um material fragrante de alto quilate a tal ponto de não cheirar o perceptível álcool. O aroma abraça a pele em uma relação de intimidade.
Oiro trabalha desta maneira. Durante o aprendizado artesão de Mona, ela desenvolveu um processo criativo em avaliar e usar ingredientes de excepcional qualidade. Em Orio, a mandarina, ainda que um aroma fresco e luminoso de forma discreta, é coberto por um quente jasmin como se as pétalas de flores pudessem queimar depois de florescer, alcançando os olhos com suas chamas que pintam a imagem de uma intrigante cor de ouro.



Você já se imaginou vestindo uma elegante roupa dourada de cor exótica e luminosa que faz com que pessoas fiquem hipnotizadas pela sua presença, como se as pessoas pudessem seguir o seu perfume, ter a visão delas queimada por uma chama de ouro? Isso é Oiro.


Notas de Oiro: Notas de cabeça são mandarina, ervilha doce e especiarias; notas de coração são jasmin indiano, olíbano da Somália, heliótropo, ylang-ylang e vétiver; notas de fundo são imortal, madeira de cedro, âmbar e almíscar.


(English version)



Mona di Orio is a French fragrance designer ahead of the perfume making of Mona di Orio Parfums. Her collection includes an high luxury collection of five fragrances Lux, Carnation, Nuit Noire, Oiro and Amytis, including also a line of scented candles which represent the wellness of fragrant room luxury goods can bring to our good taste spaces.


It is important to notice that Mona has a very special background as a perfumer and I truly believe that, apart her natural perfumery talent, she was blessed with one of the best master
nèz coach that any perfumer may have in a career, a real dream learning for any aspiring fragrance designer. She was mentored by Edmond Roudnitska, the legendary perfumer who let us masterpieces as Diorissimo and Eau de Savage. In a competitive perfumery world and also an intensive path to reach a high level of perfume expertise, certainly Mona Di Orio is very proud of developing her knowledge with Edmond and mainly being closer to his business. Moreover I have realized many points in common with Mona, more than I really appreciate the heritage of the great master, she also admires Serge Lutens' work , enjoys the culinary , wines and its flavors and smells and has a multidisciplinary point of view on visual arts and human sciences, so now it is clear to me why he has a refined nose and a sensibility to measure some fragrant ingredients I could smell in her fragrance Oiro.


When I started to know better her work art, I 've gotten impressed with the intelectual curiosity of Mona di Orio and as a niche perfumer, she is prepared to bring the best of herself. A good perfumer is more than just blending raw materials, building a concept and elaborate a formula to a client need; be a good perfumer is to be knowledgeable in many fields and to join these learnings in something which is inspiring and fragrant, sometimes the field may be the photograph, the painting, the literature, the cuisine and even there are people that are very rational about fragrances, the scented world is a real poetry, a mix of understanding more than perfume formulas and olfactory notes, it is needed to understand the human being in a real relationship and the human production in general arts and sciences, be a brave discoverer.


Oiro (2006) , the "gold" fragrance inspired by a high quality of jasmin absolute was an interesting surprise to start writing her perfumery. Firstly, it has clearly a subtle fragrance in its development, you will be able to feel each surprising phase as you were touching a rare gold piece, lapidated with different facets, moreover the jasmine here has a real elegant performance, not overly strong. One of the best things a good perfumer can bring to a consumer is when , more than a nice fragrance, he is able to bring an one which is not obvious and adds some mystery, something to be revealed, no matter if the leading olfactive note is common or not.


This gold fragrance starts with a very green approach of mandarin, but exotic one with the refinement of the niche perfumery. There is a tension on this opening, something fresh but not fresh on the same time because there is the start of a powdery scent being uncovered on heady and middle notes. The green smell is blended to the flowery jasmine scent with a very soft feeling, slightly spicy when deeply sniffed. Later the jasmine scent reminds me some of the jasmine of
YSL Cinema before the oriental woody sillage reinforced by well-balanced notes of ylang ylang, amber and, mainly, cedarwood in a jasmine body. The mandarin scent is kept in the memory as a timeless experience.


What I enjoy a lot in some rare fragrances is the power of having an high quality material at the point of not smelling a perceptible alcohol. The smell lays down on the skin in a intimacy relationship.
Oiro works in that way. During Mona's artisanship learning, she developed a creative process in valuing and using high quality materials. In Orio, the mandarin, even there is a discrete fresh and bright green scent, it is covered by a warm jasmine as if its flowers petals would burn after blooming, reaching the eyes with its flames picturing the image of an intriguing gold color.


Have you imagined wearing the elegant exoticness of a gold clothing which has a mysterious bright and color and would make people feel so hypnotized by your presence as they could follow your scent, have their vision burnt by a gold flame? That is Oiro.



Notes of Oiro: Top notes are mandarin orange, sweet pea and spices; middle notes are jasmine from India, somalian olibanum, heliotrope, ylang-ylang and vetiver; base notes are immortal, cedar, amber and musk.

Photo image of Mona di Orio Oiro bottle by Mona di Orio Parfums. All rights reserved.
Photo image of Cate Blanchet in gold dress by Vanity Fair. 2009, February issue. All rights reserved

Nenhum comentário: