terça-feira, 7 de agosto de 2007

Une Fleur de Cassie, de Frédéric Malle





Pensar em une Fleur de Cassie, da perfumaria de nicchia Frédéric Malle antes de experimentá-lo foi pensar em um floral exótico, prazerosamente doce e delicado. O nome é digno de um bom pensamento lúdico, um jardim surreal que leva a Flor de Acácia
, como protagonista além de absolu de mimosa, rosa e jasmin, entre outras notas.
Infelizmente, minha imaginação voltou ao plano mais real após a primeira borrifada. Uma nota animal, inevitavelmente suja trouxe um incomôdo de forma imediata. De fato , Malle tinha razão ao citar que a fragrância é bestial e intoxicante. Posso dizer que é o típico perfume classificado como ou ame ou odeie; aquele que indica aos futuros adeptos ou não que a barreira entre a aceitação e a recusa mora uma ao lado da outra.
Por mais que a composição de flores pareça indicar os jardins mais perfumados e românticos, o perfume cheira a um ambiente sexual, desconcertantemente fecal e escuro. Não há como escapar, a tolerância é necessária para sentí-lo. Por exclusão, diria que a flor de acácia é a nota responsável por tal ojeriza, pois o perfume apresenta flutuações de flores sufocadas por uma forte nota estranha, parecida à pimenta do reino. Essa foi a principal sensação de Une fleur de Cassie: uma salada de flores temperadas com especiarias que lembram este condimento. A doçura imaginada cedeu lugar a uma salada nada comestível.
Quando o perfume se estabelece, um pouco do floral,mais jasminzal começa a desabrochar ainda perseguido por uma nota animalesca no fundo. Definitivamente não é meu Frédéric Malle, repulsivo demais para uma flor como eu, que valoriza o perfume delicado e fascinante das flores.

Nenhum comentário: