segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Série Retratos perfumados com Rick


O convidado da semana é o Rick (ou Henrique), owner de uma das comunidades perfumísticas mais bacanas do Orkut: a Perfumistas. Foi a partir da iniciativa dele, que eu e tantas outras pessoas encontramos um ambiente agradável para conhecer pessoas mais agradáveis ainda . Uma comunidade, na qual há muito além de uma mera troca de informações sobre perfumes; há um clima de amizade que nos une a cada dia. Seja bem vindo ao blog Perfume da Rosa Negra, Rick. Este é o seu momento de celebrar comigo e tantos outros leitores e/ou apaixonados por perfumes o prazer de ter as fragrâncias e aromas nos acompanhando por toda uma vida. Espero que esteja usando o M7 da Yves Saint Laurent (risos), um dos seus perfumes preferidos, para tornar nossa entrevista mais agradável.


Primeiramente, onde você mora e o que faz, ou melhor, quem é o Rick?

Para começar, o Rick, ou Henrique, é um estudante de Sistemas de Informação no momento, que mora em Santo André e é apaixonado por cheiros, especialmente os dos perfumes, claro.


Conte-nos como começou sua paixão por perfumes, onde tudo iniciou...

Não sei dizer exatamente onde iniciou minha paixão por perfumes, pois desde que me conheço por gente gosto de cheiros. Posso dizer que ela se intensificou há dois anos atrás, quando eu criei meu orkut e comecei a participar da comunidade Apaixonados por Perfumes. Naquela época a Janeísa tinha criado um tópico chamado “Você Sabia?”, que trazia curiosidades e informações sobre diversos perfumes e épocas da perfumaria. Isso chamou a minha atenção e despertou o meu interesse para conhecer mais sobre perfumes. E a partir daí a paixão foi se desenvolvendo, eu fui lendo no orkut e nos sites e fóruns e inglês, e assim me aprofundando, melhorando minhas percepções e conhecendo mais sobre os perfumes.



Para contextualizar o leitor, a Janeísa é uma das participantes dos fóruns perfumísticos no Orkut e é moderadora de uma comunidade muito bacana, igualmente querida por mim e tantas pessoas, que se chama Espaço Feminino e Masculino.
Rick, continuando nossa conversa, na sua opinião, qual seria o mix idealizado de um perfume que seria a maior obra prima da perfumaria mundial?


Para o meu olfato, uma obra prima da perfumaria mundial teria que ter a habilidade de se metamorfosear por diversas fases sem nunca perder uma unidade olfativa. O meu perfume ideal começaria com uma mistura de notas refrescantes, como a menta e a hortelã, com um toque frutal, provavelmente da maçã ou da maçã verde. As notas fluiriam aos poucos para uma segunda fase especiada, marcada pela canela, cravo da índia e noz moscada. Em uma terceira fase, toques de baunilha com notas leves amadeiradas e um toque de açafrão. Por fim, terminaria em um patchouli cristalino associado ao agarwood, à doçura da mirra e com um leve toque de musk.


Hmmm, parece muito bom. Melhor ainda se for um perfume com ótimo desenvolvimento de todas as camadas destas notas... Rick, podemos dizer que sempre temos uma fragrância em nosso DNA, que é capaz de trasmitir características próprias a nós mesmos. Diga-nos qual seria o seu “perfume genético” e como ele se alinha ao seu todo.

Creio que seria o M7, da YSL. É incrível como eu me identifiquei com esse perfume desde a primeira vez e praticamente ele é parte de mim hoje. Gosto da contradição que é o M7, que é consegue ser leve e intenso, simples e complexo, e creio que tem muito a ver comigo. Não é um perfume masculino tradicional, assim como eu não me considero um homem tradicional. É um perfume para o homem que sabe o que é, que é seguro de si, que busca uma identidade sensual sem deixar de ser sério.



Concordo plenamente, aliás sou suspeita para falar do M7, uma obra prima de Yves Saint Laurent para homens que sabem o que querem. Diga-me quais são as tendências interessantes que estão surgindo na perfumaria atual?

Eu acho interessante a tendência de usar matérias primas não convencionais, que seriam consideradas indignas de estar em um perfume, como a nota de borracha presente no Bvlgari Black ou a coleção Odeur da grife Comme des Garçons. Essa tendência é interessante pois quebra o paradigma de que só ervas, madeiras, flores, cheiros doces podem ser usados em um perfume, mostrando que é possível combinar matérias sintéticos inovadores para criar cheiros inovadores, mas que não deixem de ser agradáveis aos nossos narizes.


De fato, existem perfumistas, como o próprio Serge Lutens que se apóiam em matérias especiais , como forma de mostrar sua ousadia com o mercado convencional; é o caso de um de seus perfumes que tem cheiro de borracha com um misto de gasolina, o Tubéreuse Criminelle, o qual tem seus adeptos para mostrar que sempre haverá narizes em busca de semelhante ousadia. Bem, prefiro o Bvlgari Black mesmo (risos). Sempre perfumes representam nossa paixão. Tem alguns que temos verdadeira aversão. Se concorda com esta afirmação, comente-nos sobre qual foi o maior fracasso perfumístico até hoje?

Dos que eu tenho aversão, posso citar 3 em específico: Kouros, 4711 e Salvador Dali Pour Homme. O último dos três é o que eu mais odeio. Até hoje me lembro de quando o experimentei, senti (e até visualizei) um lixo de banheiro cheio de papéis usados. Sinto muito, mas assim eu não quero cheirar (risos)


(Risos) Bem, se alguém estiver inspirado a comprar o Salvador Dali Pour Homme, você acabou de incentivá-lo a jogar o cesto de papéis usados fora (risos). Bem... Rick, tem gosto pra tudo, mas sempre é bom sermos críticos com relação aos perfumes que não nos agradam e sinceros como você foi, acima de tudo. Obrigada...
Falando em mercado da perfumaria mundial , você sabe que ele sempre acompanha grandes tendências olfativas para criar um perfume em sintonia com o tempo e, ao mesmo tempo, inovador; no entanto existem perfumes que são atemporais e inovadores, podendo ser considerados clássicos e modernos para toda uma vida. Na sua opinião qual o perfume que se encaixa nesta definição? Por que?


Eu colocaria nessa categoria o Eau des Merveilles da Hermes. É um perfume que poderia ter sido lançado há 10 anos atrás ou daqui a 20 anos que continuaria sendo inovador, com sua estrutura olfativa invertida, além de ser um perfume que não representa uma época específica da perfumaria, sendo também por isso atemporal. Não dá para encontrar tendências nesse maravilhoso perfume que mescla cítricos e madeiras com uma perfeição extraordinária. É um dos meus preferidos, com certeza.

Fico feliz que os últimos perfumes da Hermes como Eau de Merveilles e Un Jardin Sur Le Nil têm tido excelente aceitação através da simplicidade das notas, mas com algo de inovação, nos remetendo aos mais belos jardins do mundo, em um contexto de natureza elegante. Sem dúvidas, ótimas escolhas para o verão que se aproxima. Dando continuidade, diga-nos um perfume que combina com o seu filme, livro e/ou música preferida. Comente a respeito.

Confesso que essa é uma pergunta difícil de responder, pois meu gosto principalmente por filmes e músicas é sazonal. Escolheria o Dior Addict para representar o livro Senhora, de José de Alencar, pois demonstra muito bem a Aurélia, uma moça poderosa, dona de si, que faz o que quer com os homens, mas que ao mesmo tempo é romântica e que deseja um dia que seu amor verdadeiro se arrependa do que fez e volte suas atenções a ela.


Na sua opinião, quais são os 5 perfumes que temos que conhecer pelo menos uma vez na vida?


Eu escolheria esses 5, dado o caráter único de suas fragrâncias (e também por serem meus preferidos rsrsrsrs): M7, Black Cashmere, Opium edt, Opium pour homme edp e Datura Noir.



Qual é o pior pecado de um perfume e/ou um perfumista? Se é que apaixonado como é, consiga encontrar algum pecado (risos)

(risos) o pior pecado de um perfume para mim é não ter personalidade, não ser nem amado nem odiado, ser mais do mesmo, mais um que será esquecido daqui uns 2 ou 3 anos. Já de um perfumista, é criar um perfume nesse estilo, sem se preocupar em fazer algo único e memorável, que possa resistir ao tempo e se tornar um verdadeiro clássico daqui 10 ou 15 anos.


Hmm, isso é verdade. Perfume sem personalidade é a pior coisa que existe neste ramo. O perfumista ainda tem a oportunidade de se redimir, mas o perfume (risos) ficará apagado na história. Com toda certeza...
Rick, p
erfumes são como diamantes, verdadeiros objetos de desejo. Baseado nisso, qual é o diamante mais precioso que deseja incorporar na sua valiosa coleção.

Existem tantos que é até difícil escolher um só. Mas se fosse assim, creio que seria um perfume árabe baseado na agarwood melhor que tivesse. Esses sim são verdadeiras obras de arte, caríssimos, mas que duram anos, são únicos, e são que nem vinhos: melhoram cada vez mais com o tempo.


De fato Rick, os melhores óleos perfumados são aqueles de estilo vintage, envelhecidos e que inclusive chegam a ser presentes para pessoas importantes no Oriente Médio como famílias reais, grandes governantes... um item valorizado com o tempo, como uma jóia do oriente.
Finalizando este nosso grande encontro, descreva seu amor por perfumes com uma palavra, frase ou texto.


Uma relação intensa, de amor e ódio, de paixão inabalável, resistente ao tempo.


Rick, obrigado pela sua participação... Um beijo perfumado, Cris, a Rosa Negra

7 comentários:

Vera disse...

Querida Cris, um sucesso a entrevista com o nosso amado Rique( é com "que" que eu gosto de escrever seu nome!!!)!A cada dia, ele fica mais hábil ao falar de perfumes , demonstrando a sua intensa pesquisa e interesse sobre o assunto.Ler a entrevista de vocês foi como assistir a uma partida de tênis entre campeões: um deleite!Parabéns aos dois!
Vera

Rosa Negra disse...

Querida Verinha,
Obrigada!
Também achei a entrevista ótima, demonstrando que muito mais que paixão, tem algo que nos move para a pesquisa fundamental, saber sempre mais. Isso é maravilhoso, é o que nos faz formar opinião como consumidores e como apaixonados. beijooooo

Henrique disse...

Cris, foi uma verdadeira honra ter feito essa entrevista com você! Me fez lembrar de muita coisa desses 2 últimos anos, que eu por sorte e benção conheci vários e vários perfumes e pude melhorar meu pequeno conhecimento na área. Digo que você é o meu modelo de inspiração, por sua paixão pela perfumaria, seu conhecimento, seu gosto, e ainda sim sua humildade me inspiram! Agradeço os elogios da Vera também, outra pessoa que eu tive a benção de ter um pouco de convivência, mesmo que virtual. Se eu tiver sorte chego um dia perto do teu refinamento viu VV? ;)

Sr.Brisa disse...

oi curti seu blog eim
curti vc ^^

vai la dpois eim
c nao , nao vale rs...

www.jornalpublicitario.cjb.net

Rosa Negra disse...

Oi Rick,
Obrigada pelo carinho! Fico feliz que você tenha demonstrado pra várias pessoas e, acima de tudo, pra ti mesmo que você é uma pessoa que teve uma evolução "perfumística" por todos estes anos. Sua entrevista foi de uma qualidade comparável aqueles que já ultrapassaram a barreira de só gostar de perfumes. Você falou com muita naturalidade sobre seus pontos de vista e apresentou uma visão sólida e acessível sobre perfumes a todos nós. Como comentei no aniversário de 2 anos da comunidade Perfumistas: o tempo passou e como foi bom aprender com todos. Com certeza, você foi peça importante para sustentar a comunidade, muito além do que tê-la somente fundado. Hmmm, fico lisonjeada por ser sua inspiração. Você também me inspirou a comprar um M7 pra mim rsrsrs... beijo, querido! Be always a M7 man!
Cris

Rosa Negra disse...

Sr. Brisa,
Obrigada por prestigiar o Blog e gostar do espaço... Visitarei seu espaço e esteja sempre visitando o perfume da rosa negra... Venha perfumado rsrsrsrs... Se não vier, logo logo estará!

Cris

Liana disse...

Achei ótima...
Rick, como tu, sabe das cosas olfativas
Adorei!!!