domingo, 5 de agosto de 2007

Femme de Montblanc : aniversário sem sabor de bolo



Demorou, mas finalmente tive o (des)prazer de provar da fatia de bolo de canela, chamada Femme Montblanc. Digo que é bolo de canela pois o perfume consegue se limitar muito a esta nota na minha pele. Digo que é fatia de bolo pois este perfume foi lançado em comemoração ao 100º aniversário de Montblanc. Foi um misto de (des)prazer porque a embalagem é lindíssima e luminosa , no entanto o desprazer foi sentir um perfume que não soube resgatar as diversas notas que o formam e não me possibilitou uma onda diferenciada de sensações olfáticas. Senti muita canela, tudo muito doce, um meio confuso, um pouco mais floral e ao fim, uma base que mesclava um leve musk com alguma fruta vermelha. Eu esperava um "bolo" mais recheado e, principalmente, um "bolo" que tivesse o requinte como os das noivas, que fazem uma analogia melhor com a marca. Foi um aniversário que celebrei sem o sabor do mesmo porque eu pensei que a relação com o Femme seria apaixonante à primeira vista. Tenho um relacionamento muito passional com a marca, porque venero o Femme Individuelle , adoro o Presence d´une femme e me encanto com o Individuel Masculino. Acredito que eles carregam o refinamento mais cotidiano de Montblanc. Femme conseguiu descaracterizar a marca no meu conceito; considero o mix com notas excessivas e que no final de tudo resume o MUITO a MENOS, allém disso o considero mais pueril que adulto. No propósito de criarem um especiariado oriental, misturaram notas demais que não subiram no perfume, o qual se afogou em meio à canela. Ser especiariado não é polvilhar canela dentro do frasco ou se restringir só a esta nota. Enfim... erraram a receita do "bolo", na minha opinião.

Nenhum comentário: