sexta-feira, 18 de abril de 2008

Série Retratos Perfumados com Luz

Nada melhor que retornar ao blog e estar bem acompanhada por mais uma convidada, querida e apaixonada por perfume. Neste retorno, não poderia deixar de apresentar aos meus leitores , logo de cara, mais uma entrevista da série retratos perfumados, desta vez, com a Luz. A Luz presenteou-me com sua presença aqui e, antes disso, também com a comunidade do blog da Rosa Negra no Orkut da qual é moderadora. Visitem-me por lá!

Obrigada Luz, continue a viver perfumes intensamente e seja sempre minha companheira no fã clube do Apparition, de Emanuel Ungaro (risos).








Cris: Luz, hoje é o seu dia de iluminar o blog negro e perfumado desta Rosa que lhe fala. Muito obrigada pelo privilégio de ceder uma parte do seu tempo para estar aqui no perfume da Rosa Negra. Tenho certeza que será um momento memorável para todos nós que somos aficionados por perfumes e adoramos compartilhar novas visões com outros amantes desta grande arte que é a perfumaria. Perfume-se e fique à vontade!


Luz: Muito obrigada ! É uma imensa alegria estar aqui, participando desta página favorita. Allure EDT, Chanel, me acompanha neste momento especial.

Cris: Allure!... Elegantérrimo ter um Chanel perfumando esta entrevista. Luz, quando você começou a se interessar por perfumes e qual foi o primeiro perfume que você usou?

Luz: Realmente não consigo lembrar-me quando foi que me interessei por perfumes. As fragrâncias sempre estiveram presentes na minha vida. Para mim, o olfato é o sentido mais subjetivo, pessoal e espiritual. As fragrâncias, nao só de perfumes, sempre me atraíram naturalmente, sempre me conectaram na vida com o que havia do lado de fora, e também do lado de dentro, dentro de mim. A paixão pelos perfumes foi uma conseqüência. O primeiro perfume que me impactou foi Samsara, Guerlain, que sempre será muito especial para mim. Quando menina também tentava fabricar água de rosas no quintal.


Cris: Água de rosas no quintal? Que bonita imagem da infância relacionada a aromas, Luz! Estas memórias fazem toda uma diferença pois nos fazem pensar como os aromas nascem naturalmente em momentos da vida.

Todos nós guardamos memórias olfativas, boas ou ruins, mas são sempre
inesquecíveis. Diga-nos uma memória relacionada a um perfume ou um aroma
específico que tenha marcado sua vida.


Luz: Meu olfato é o sentido que mais se relaciona com a memória. E o aroma dos bosques é o que mais intimamente se relaciona com minha memória. Cresci no campo, e sabia sozinha, se estava caminhando já muito longe de casa, quando o aroma das árvores ia ficando mais intenso dentro da vegetaçao densa.

Cris: É interessante ver que tem esta memória do aroma dos bosques e como ele era uma referência de direção à medida que se distanciava de casa. Sempre também imagino aromas como bússolas que nos orientam a algum lugar, seja físico, mental, espiritual...

E Luz, se você fosse uma nota olfativa, qual seria e por que?

Luz: Nenhuma. Preferiria ser o veículo no qual as notas pudessem discorrer livremente.

Cris: O que é um perfume para você? O que faz um perfume ser “o perfume”?


Luz: Um perfume é a fragrância de uma inspiracão, de uma sensação emotiva do passado, do presente, de um desejo, ou simplesmente uma mistura desses elementos. Quando essa mensagem do perfumista é realmente captada pelas pessoas, este perfume então ganha vida. O perfume ideal é aquele que traz uma sensação especial para cada pessoa.

Cris: Jogo rápido. Diga o porquê da sua escolha.
Um perfume que lembra a natureza no seu estado mais fascinante

Luz: Pure White Linen, Estee Lauder, pela pureza que me representa.

Cris: Um perfume que lembra o calor de um abraço


Luz: Brit Red, Burberry, confortável e quente.


Cris: Um perfume que lembra uma apaixonante noite de amor


Luz: O cheiro natural dele. Limpo e verdadeiro. Também Greenergy, Givenchy.


Cris: Um perfume que lembra o maquiavélico na sua forma mais hostil


Luz: Shalimar, Guerlain. Evolui misteriosamente, cuidado!


Cris: Digamos que você é uma astróloga poderosíssima e os astros nunca
falham em suas previsões(risos). Conte-nos o que esperar do futuro da perfumaria
em 2010.


Luz: Em 2010, tudo será mais perfumado. A perfumaria nacional encontrará sua própria essência e caminho dentro de todas as possibilidades da nossa natureza única e todos compreenderão através do olfato nossa verdadeira identidade brasileira. A página da Rosa Negra divulgará os acontecimentos. Este desejo, no qual acredito, não poderia deixar de ser minha previsão.

Cris: Sim, sim... Quero estar aqui para divulgar estes tantos ciclos perfumados que ainda virão...

Luz, já pensou em ter uma “signature fragrance”, um perfume exclusivo e só seu? Se sim, qual seria este mix e qual o nome que daria à fragrância? Se não, por que não ter uma fragrância personalizada?

Luz: Cada perfume que uso se mistura a minha pele e estado de espírito e reage de maneira única. Um perfume em cada pele é uma experiência única sempre. Toda pessoa transforma o perfume que leva de maneira exclusiva.

Cris: Os perfumes e aromas sempre nos ensinam algo, seja relacionado à arte da perfumaria em si, seja sobre nós mesmos e tantas outras sensações, conhecimentos e experiências. Quais foram os principais aprendizados desde que começou a sua paixão por perfumes? Como estes aprendizados mudaram a sua forma de lidar com fragrâncias e aromas?


Luz: Perfumar-se com o coração pode fazer um dia mais feliz. Estar atento as sensações que nos trazem esta arte e reconhece-las é uma tarefa também de auto-conhecimento e expressão. O domínio de qualquer arte implica dedicação, mas a paixão é indispensável para ser realmente especial. Aprendo diariamente.

Cris: Atualmente percebemos que os perfumes ora são inimitáveis ora são “relançamentos” com outro nome, é dizer que ou são objetos de arte dignos de encabeçar o rol de perfumes clássicos e/ou únicos em suas performances olfativas ou são produtos finais da massificação da perfumaria sem muita criatividade.Tomando estes conceitos como base, na sua opinião, qual o melhor e o pior perfume dos últimos tempos?

Luz: Acredito que todos temos algumas necessidades básicas e mundanas... sentimos alegria ou tristeza, de alguma forma. Os sentimentos nao são exclusivos.
Tudo que estudamos está baseado atualmente em uma carga de conhecimento empírico ou científico prévio, que assimilamos sem criatividade muitas vezes. O conhecimento não é exclusivo.
Ao viajar para conhecer outras culturas, encontramos cada vez mais similaridades globalizadas. A cultura nao é exclusiva.
A busca pela exclusividade é uma utopia, mas sem dúvida é um motor criativo indispensável.
Gostaria que Leonardo da Vinci tivesse sido também perfumista, ou que todos perfumistas fossem um pouco Leonardo da Vinci.
Mas no contexto atual, isso é impraticável, e não vejo com maus olhos as inspirações inevitáveis. Na minha opinião, refletem a época em que vivemos, as tendências comerciais além da arte... mas definitivamente fazem parte, mesmo em crise, de um processo evolutivo.
A exclusividade de um perfume está na pessoa que o veste.


Cris: Qual seu perfume # 1. Conte-nos o motivo de colocar no topo da sua lista de preferidos.

Luz: Hypnose, Lancome. Me deixa feliz.

Cris: Defina em uma só palavra ou frase: Luz e perfume são?


Luz: Inseparáveis.

Cris: Luz, obrigada pela sua participação, excelente entrevista!

Um beijo perfumado da Rosa Negra

Luz: Eu agradeço ! Foi maravilhoso poder estar aqui. Muito obrigada.

Nenhum comentário: